Está na hora de fazer o controle de pragas

Está na hora de fazer o controle de pragas

A temperatura ainda mais alta na estação que começou em setembro traz uma nova preocupação: as pragas. É nesta época em que as baratas e formigas perdem a vergonha e invadem as residências à procura de comida e um pouco de aventura. De acordo com o biólogo e professor da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) Marco Aurélio de Oliveira, o clima vivido em Pernambuco, entre 28ºC e 35ºC, é propício para esses insetos, que contaminam qualquer lugar por onde passa.
“A barata, por exemplo, é uma praga urbana, que sozinha pode contaminar todo o alimento. As formigas também são perigosas, porque elas carregam patógenos, que são microorganismos causadores de doenças, por passar por locais como o esgoto”, explica.
“O ideal é ter medidas preventivas para que esses insetos não entrem na sua casa, mas caso eles apareçam, é preciso ter um grande cuidado, principalmente porque, no ambiente, a praga vai encontrar o alojamento, com alimento e água. Encontrando situações assim, vão se instalar e proliferar”, acrescenta Marco Aurélio.
Ainda segundo ele, as formigas são ainda mais perigosas do que as baratas, por serem pequenas e conseguirem maior inserção nos alimentos. “As baratas e formigas transmitem um número muito grande de doenças, desde pequenas alergias até viroses mais sérias, porque elas carregam esses microorganismos dentro do corpo e por onde elas passam acabam contaminando tudo, da toalha ao lençol, pelo pão, açúcar”, diz.
A recomendação dada pelo biólogo é procurar ajuda profissional. Fabio Scohor, diretor da dedetizadora FGenes, afirma que o serviço é rápido e não oferece risco aos moradores. “Para cada praga, há um tipo de trabalho bastante específico. Barata, por exemplo, tem um gel que colocamos por onde ela passa. Ela vai comer e vai morrer horas depois.

Para esse tipo de trabalho não é preciso que ninguém saia de casa. Nós aplicamos durante o período em que a maioria das pessoas estiverem fora, a trabalho, por exemplo, mas horas depois elas podem voltar”, explica. “É mais barato do que fazer por conta própria, porque você vai gastar dinheiro com material e não vai aplicar da melhor forma. Fora que o material do mercado você usa e depois não sabe como descartar a embalagem”, acrescenta.

Com 672 apartamentos em 42 prédios, o condomínio João Paulo II, em Cajueiro, Zona Norte do Recife, tem o serviço realizado a cada três meses, como forma de prevenir o surgimento de baratas, escorpiões e ratos. “Sempre quando dedetizamos, aparecem baratas e escorpiões mortos. O serviço é feito sempre nas áreas comuns do condomínio, mas tem morador que contrata o serviço por conta própria para limpar seu apartamento”, conta o síndico Thyago Amorim. “Fazemos a dedetização pela manhã, e na parte da tarde os zeladores limpam os insetos mortos”, acrescenta.
Fonte: Folha PE

Deixe seu comentário

30 - 22 =