As doenças transmitidas por pombos devem ser levadas a sério

Doenças Transmitidas Por Pombos

Os pombos são tão presentes em nosso dia-a-dia, que acabam fazendo parte do nosso cenário urbano. Parecem, em primeiro momento, inofensivos, mas as aparências enganam. Estas aves transmitem diversas doenças que podem levar até à morte.

As grandes cidades são o cenário ideal para que as aves se reproduzam, já que elas têm como habitat locais com restos de comida e grãos. Além disso, restos de lixo também acabam sendo uma abundante fonte de alimento para os pombos.

Nesta matéria, nossa preocupação principal é trazer a você, leitor, quais as doenças que os pombos transmitem, até para que seja mais fácil saber como nos protegermos delas.

As doenças transmitidas pelos pombos

  1. Criptococose: esta é a principal doença transmitida pelas aves. Sua transmissão ocorre através da inalação de fungos presentes nas fezes do animal. A criptococose ataca o pulmão, podendo chegar até o sistema nervoso central. Os sintomas são: dor de cabeça, sonolência e febre. Em alguns casos, a doença pode evoluir e causar meningite. Aproximadamente, 30% das pessoas infectadas morrem.

  2. Histoplasmose: esta é outra doença transmitida pelo fungo presente nas fezes dos pombos. Ela dá origem a uma micose que pode ser tão profunda que atinge até os órgãos internos.

  3. Salmonelose: parecida com uma intoxicação alimentar essa doença é transmitida principalmente por carne contaminada. Os sintomas são diarreia e dores abdominais.

  4. Dermatites: além destas doenças já conhecidas, os pombos podem carregar em suas asas micro-organismos que causam dermatites. Os sintomas são coceiras e infecções, que podem evoluir para alergias que afetam o sistema respiratório.

Como evitar as doenças transmitidas por pombos?

Não criar ambientes propícios para a proliferação das aves é o primeiro passo para evitar as doenças transmitidas por elas. Manter forros e telhados fechados também ajuda, impedindo que o animal possa fazer seus ninhos.

Usar sistemas que afastam os pombos de casa, de forma inteligente e não invasiva, também é uma ótima solução. Para isso, solicite um orçamento sem compromisso com a Insetan.

Fonte: Osasco Notícias

Fui picado por uma aranha, o que devo fazer?

Picada de aranha: o que f

Veja o como proceder em caso de picada de Aranha.

Existem diversos animais que circundam a nossa casa, e muitas vezes bem pequenininhos que a gente nem se dá conta, mas não sabemos inclusive o quanto eles são perigosos, como por exemplo as aranhas, quando da picada de aranha, tanto a aranha marrom e a viúva negra, que são consideradas as menores aranhas do mundo e as mais perigosas, a medida de ambos os tipos ficam em torno de 12 mm a 3 cm e é capaz de se reproduzir rapidamente.

Estas espécies de aranha possuem seis olhos que são bem próximos e uma coloração bastante acentuada de preto ou marrom castanho, devido a isso surgiram seus nomes. Elas possuem seus pelos curtos e escassos e os machos tem o corpo mais delgado e apresentam com isso patas mais largas que as fêmeas, podendo viver inclusive cerca de cinco anos e podem se reproduzir mais de sete vezes no ano botando mais de dois mil ovos.

Essas aranhas não são agressivas e só reagem assim quando se sentirem ameaçadas e causam a picada quando são pressionadas contra o seu corpo, porém tanto o macho quanto as fêmeas tem suas picadas bastante perigosas causando diversos males para nós.

A picada de aranha e os seus sintomas

A picada de aranha é praticamente indolor e somente a partir de  12 a 24 horas depois é que sentimos os efeitos como inchaço, bolhas no local, morte do tecido, dor no local. Se por acaso deixarmos o tempo passar e não aplicar antídoto outros sintomas podem aparecer, como sensação de boca seca, urina escura e também sonolência, em alguns casos bastante raros podem ocorrer anemia hemolítica com a destruição das hemácias e até mesmo a coagulação do sangue.

Podem também em alguns casos ocorrerem hemorragias de grau leve a grave em consequência a insuficiência renal, anemia aguda e também morte.

Por estes motivos é muito importante que seja aplicado os antídotos o mais rápido possível para que não existam sequelas no corpo e assim se sentir os sintomas ou perceberem uma picada de aranha basta se dirigir até o hospital para tomar um antídoto.

Estes tipos de aranhas são os mais perigosos e ambas são originárias em lugares de climas quentes, secos e também escuros onde existem grandes quantidades de moscas. Diversas vezes é possível as encontrar no banheiro e nos exteriores de casa.

Já no caso da viúva negra a aranha se identifica através de uma marca vermelha na barriga. E a sua picada é semelhante a de um inseto podendo mesmo nem se sentir. Primeiramente é possível perceber apenas um inchaço ligeiro e também o aparecimento de manchas vermelhas. Depois de algumas horas será possível perceber uma dor intensa e uma situação de sonolência, além também fraqueza.

As únicas medidas de primeiros socorros que são eficaz para uma picada de aranha é cobrir com um cubo de gelo a picada para reduzir a dor. Os menores de 16 anos e maiores de 60 devem ser hospitalizados para receberem este tratamento e no caso de envenenamento grave é utilizado um antídoto que irá neutralizar os efeitos das toxinas.

Além disso é possível que sejam realizadas necessárias outras medidas para tratamentos, especialmente se ocorrerem dificuldades respiratórias, pressão alta, entre outros. Em alguns casos simples é possível diminuir a dor com banhos quentes. Caos mais graves podem requerer até mesmo analgésicos opiáceos.

Para não correr riscos de picada de aranha, previnir é sempre o melhor caminho. Por isso, que tal solicitar um orçamento gratuito para dedetizar sua residência? Basta clicar aqui.
 
Conteúdo produzido com informações de Mestre das Dicas.  

Fezes de rato em casa: se você encontrou, o que deve ser feito?

Fezes de rato

Quando não há dedetização correta em um local com chances de infestação, uma hora ou outra, o descuido irá trazer alguns transtornos. Um exemplo disso é quando os ratos resolvem invadir a nossa casa. Por onde passam, esses animais podem espalhar sujeira, prejuízos materiais e, o pior, sérias ameaças à nossa saúde.

Não raro, numa casa em que há incidência de roedores, encontramos fezes de rato e urina desses animais em roupas e outros tecidos que utilizamos no dia a dia. E quem já passou por isso, sempre traz consigo as dúvidas sobre a providência a ser tomada. Jogar logo na máquina de lavar? Usar produtos de limpeza mais pesados? Descartar as roupas na lixeira? Afinal de contas, qual a melhor maneira de resolver o problema?

Fezes de rato: veja como proceder para higienizar


De acordo com a técnica responsável da Insetan, Viviane Avelar, para desinfetar fezes de rato e urina, a limpeza ideal é aquela que se faz do jeito mais completo possível. Primeiramente, a máquina de lavar deve ser submetida  a uma descontaminação. Antes de começar a lavagem, as fezes devem ser retiradas das roupas e, estas, em seguida, rodadas na máquina em um ciclo comum.

Depois, é necessária uma higienização com um produto de alto teor bactericida do tipo Lysóformio e a finalização deve ser feita com mais uma lavagem convencional. Após a secagem, as roupas devem ser passadas com o ferro em temperatura bem alta.

A dica mais importante, no entanto, é acabar com os ratos em casa. E o melhor jeito de fazer isso é contratando uma empresa séria e especializada, como a Insetan. Para orçamentos sem compromisso, acesse aqui.

O que atrai os ratos para dentro de nossa casa?

Ratos: o que levam eles até sua casa?

Ninguém gosta de conviver com ratos dentro de casa. Além de incômodos, eles destroem objetos e alimentos e o pior: eles transmitem graves doenças trazendo prejuízos para a saúde de todos que moram na residência infestada. Por isso, é importante pensar em como implementar um controle, ainda que mínimo, para manter o perigo o mais longe possível.

Mas afinal, o que atrai ratos para nossas casa?

Muitas vezes, o convite para que as pragas urbanas invadam nossa casa pode vir dos próprios moradores. Sim, o resultado de alguns dos nossos hábitos pode atrair os ratos.

Um desses hábitos pode ser o modo como tratamos a lixeira. Quando ela está mal vedada, as sacolas com restos ficam abertas ou mal fechadas, o cheiro que exala vai chamar a atenção dos animais.

Outro hábito é o de não guardar a ração dos pets durante a noite. Recolha-os quando seu animal de estimação não esteja se alimentando.

A falta de dedetização regular também contribui para uma infestação.

Para cuidar de problemas com ratos e também com outras pragas, procure uma dedetizadora que tenha uma equipe qualificada, utilize métodos e produtos seguros e que também conte com boas certificações, como a Insetan.

Para um orçamento sem compromisso, clique aqui.

Escorpião: como combater essa praga

Escorpião: como combater e se proteger

Escorpião é uma aracnídeo perigoso. E a partir de setembro, quando a temperatura aumenta e o clima fica mais quente, os escorpiões começam a aparecer com maior intensidade. Dado o perigo que representam, nunca é demais conhecer um pouco mais sobre esta praga.

Quais são as principais espécies de escorpião?

No Brasil as espécies de escorpiões mais importantes para a saúde pública pertencem ao gênero Tityus, destacando-se as espécies Tityus serrulatus (escorpião amarelo) e Tityus bahiensis (escorpião preto).

Como são feitos o combate e o controle de escorpião?

O controle geralmente é químico e pode ser realizado empregando-se produtos que, além de apresentar comprovada eficiência sobre os escorpiões, apresentam também ação residual.

Existe ainda o controle biológico, realizado por animais que são predadores dos escorpiões. As galinhas são bons exemplos: devido ao seu comportamento de ciscar, acabam encontrando e eliminando inúmeros escorpiões.

Quais são os benefícios de se fazer o combate e controle técnico de escorpiões?

  • Localização dos focos de escorpião sem colocar em risco moradores ou animais domésticos.
  • Segurança e tranquilidade para moradores e animais domésticos.

Na prática, como se dá o serviço de combate e controle dos escorpiões?

Todo o trabalho é feito em etapas, como você confere a seguir:

  1. Aplicação de produtos domissanitários (na forma líquida) em todos os locais que estejam infestados ou que sirvam de abrigo para os escorpiões.
  2. Os pontos críticos de controle devem receber as intervenções químicas de acordo com as características de cada espécie. Esses pontos serão avaliados e definidos durante a execução dos serviços, podendo variar de acordo com as particularidades do ambiente tratado.

     

  3. Nas áreas internas, os locais que devem ser preferencialmente tratados para a redução das infestações por escorpião são:

     

    • Rodapés soltos
    • Ralos de pia e piso (em cozinhas e banheiros)
    • Frestas e vãos nas paredes
    • Batentes de portas e janelas
    • Caixas de energia
    • armários sob pias ou gavetas
    • Objetos empilhados.

       

  4. Nas áreas externas deve-se priorizar:
  • Pilhas de materiais de construção
  • Lixeiras
  • Amontoados de objetos descartados
  • Frestas e vãos de muros e barrancos
  • Caixas de gordura, de esgoto e de energia
  • Amontoados de troncos, galhos e folhas caídas

Para se prevenir dos escorpiões, o melhor é contar com ajuda profissional

Quando o assunto é saúde e vida, o melhor é sempre contar com ajuda especializada. Por isso, para combater escorpiões, evite soluções caseiras ou improvisadas. Conte sempre com uma empresa especializada, como a Insetan — a maior e mais tradicional empresa do segmento em Minas Gerais.

Que tal solicitar um orçamento sem compromisso? Basta acessar dedetizacaoinsetan.com.br/contato/

Leia também:
Dedetização de escorpião – como acabar escorpiões
Escorpiões – Como eliminá-los da sua casa e trazer a paz de volta
6 dicas para férias escolares sem escorpiões

Conteúdo atualizado em 3 de março de 2022

Prejuízo das pragas no ambiente urbano

Ratos, cupins, baratas, aranhas, mosquitos, pernilongos. A lista de insetos é grande e vai desde os bichos que parecem inofensivos, como as pequenas formigas, até aqueles que podem levar à morte, como os escorpiões. Nos ambientes urbanos, sejam casas, condomínios, empresas ou setor alimentício, esses bichos costumam aparecer com frequência e os prejuízos causados pelas pragas urbanas podem ser enormes.
 
Popularmente perigosos por serem vetores de diversas doenças e bactérias, as pragas urbanas também geram danos em todo o ambiente urbano, desde imóveis até alimentos. Os cupins, por exemplo, são capazes de destruir diversas estruturas como telhados e construções de madeira e  além de comprometerem alvenaria, borracha, gesso, concreto e fios elétricos.
 
Outro terror dos ambientes urbanos são as traças, que roem tecidos, causando estragos em roupas e estofados. Os livros também são alvos desses pequenos insetos voadores. Já os mais corriqueiros, como baratas, formigas e ratos contaminam todos os lugares por onde passam, principalmente alimentos, que futuramente podem ser ingeridos e causarem infecções.
Para combater todas essas pragas, é importante dedetizar os ambientes de maneira específica. A desratização, por exemplo, controla roedores, como ratos, ratazanas e camundongos. Há também a descupinização, processo necessário para eliminar as colônias de cupins. E, para insetos em geral, como baratas e escorpiões, a desinsetização é o ideal.

Dedetizar ou Detetizar?

Dedetização ou detetização, qual o correto? Esta é uma dúvida que assola os falantes do português há muito tempo. Por serem parônimas, as duas palavras têm mesmo o poder de confundir, principalmente na hora de escrever. Pensando nisso, nós viemos tentar esclarecer qual é afinal a diferença entre dedetizar e detetizar.
Quando nós estamos falando da aplicação de inseticidas, o Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa considera que o correto é DEDETIZAR. Este verbo vem do substantivo DEDETIZAR e é uma variação dos termos Dicloro Difenil Tricloretano, o DDT, pesticida largamente usado contra pragas urbanas no período da Segunda Guerra Mundial.
A medida que o tempo foi passando, a palavra dedetização começou a ser usada para designar uma gama enorme de substâncias similares, sendo compreendido como um nome guarda-chuva. Mesmo o uso do DDT sendo proibido no Brasil, o termo dedetização é usado de forma geral quando falamos em pragas urbanas e seu combate e prevenção.
Se você estiver enfrentando um problema de infestação, procure uma dedetizadora para resolver o problema. Mas também não se esqueça que escolher fazer uma dedetização preventiva no inverno pode evitar problemas maiores com pragas urbanas. É importante que você procure saber se é uma dedetizadora confiável, se conta com uma equipe qualificada, produtos liberados pelo Ministério da Saúde e se possui certificações.

Cuidado com os cupins

Existem quase 3.000 espécies de cupins descritas no mundo. Eles têm um papel importante no ecossistema já que comem detritos vegetais e conseguem revitalizar madeiras mortas. Mas se tornam um grande problema quando se estabelecem no meio urbano causando enormes prejuízos materiais. Os cupins podem destruir móveis, objetos, forros e há casos em que o problema é tão sério que essas pragas conseguem comprometer a estrutura inteira de uma casa. Quando é detectada uma infestação na residência ou empresa, o ideal é contratar uma empresa de dedetização.
Antes de tudo, deve-se encontrar uma dedetizadora confiável com equipe altamente especializada, que utilize produtos devidamente registrados e atestados pelo Ministério da Saúde. Primeiramente, o profissional irá fazer uma inspeção inicial no local para avaliar a intensidade da infestação e identificar a espécie, uma vez que há um tipo específico de inseticida e uma técnica específica para cada uma delas.
Quatro formas de saber se há alguma infestação são: observar se há asas próximo a objetos de madeira, se também há pó pelo local, se também há a presença de túneis de terra pelas paredes e mobiliários e também se a estrutura de alguma madeira estiver fragilizada, quebrando com facilidade.

Como a chuva influencia na disseminação da dengue?

Com a chegada da primavera e, junto dela, o período chuvoso, aumentam significativamente os locais favoráveis para o desenvolvimento de criadouros do mosquito Aedes aegypti por todo o país. Com as inundações e a formação de poças, as residências, as empresas, principalmente os terrenos baldios, tornam-se ambientes bastante propícios para a formação de focos. Além do vírus da dengue, o mosquito também é vetor dos vírus zika e febre chikungunya.
Além das chuvas, o que também favorece a proliferação do mosquito é o aumento da temperatura, uma vez que eles são sensíveis às mudanças desta. Com mais água para fazer criadouros somado a um aumento de temperatura, esse animal vê seu desenvolvimento – do ovo à idade adulta – significamente acelerado. O mosquito leva de sete a dez dias para se tornar adulto e o melhor modo de eliminá-lo é interromper seu ciclo de desenvolvimento.
Outra coisa muito importante de ser lembrada é o cuidado que devemos ter em nossos ambientes de convívio. É fundamental que eliminemos qualquer foco de água parada, suja ou limpa. Coloque areia nos pratinhos das plantas, não deixe lixo destampado ou entulhos que podem acumular água da chuva. Limpe também calhas e recolha pneus que possam estar armazenados de forma inadequada.

O perigo da aranha marrom

As aranhas formam um enorme grupo de aracnídeos no mundo animal. Atualmente, existem aproximadamente 35000 espécies de aranhas. A maioria das espécies são inofensivas, uma vez que possuem toxinas inofensivas ao ser humano. Mas isso não significa que acidentes graves envolvendo esses animais não ocorram. Algumas espécies, como a aranha marrom, podem causar danos à saúde de quem levar uma picada.
Em geral, a aranha marrom vive em vários tipos de locais como pedras, tijolos, frestas de portas e janelas, rodapés, no meio da grama e até nas cascas das árvores. Uma vez dentro da residência, a aranha encontra algum lugar escuro e seco como porões, forros, armário, estante de livros, caixas de papelão ou sótãos e encontram ali um habitat. Essas aranhas não costumam ser agressivas, mas podem, numa picada, disseminar no corpo da vítima uma toxina bastante perigosa e debilitante. Sua picada é quase indolor e só apresenta sintomas de 12 a 24 horas depois. Entre os sinais estão: inchaço, bolhas dor e necrose.
É importante ressaltar que a melhor forma de prevenir acidentes com a aranha marrom é lançar mão do controle químico feito por profissionais. Procure uma dedetizadora de confiança para ajudar você a lidar com essa ameaça.