Dedetização caseira: sobre o uso de repelentes

Dedetização caseira: sobre o uso de repelentes

Quando um mosquito invade sua casa, o primeiro pensamento é, antes de procurar uma empresa de dedetização, lançar mão de um repelente. Munido com esse produto que promete manter esses insetos longe, basta aplicá-lo sobre a pele que o problema está resolvido, certo? Nem tanto.

Somente o uso do repelente não garante uma total proteção contra esses animais tão inconvenientes. É preciso prestar atenção em outros cuidados que vão muito além da aplicação do produto em si. Para começar, esses compostos que são facilmente encontrados

em farmácias e supermercados, não podem ser utilizados em crianças menores de 6 meses de idade. É necessário, então, ficar atento e deixar o repelente longe dos pequenos.

Além dessa restrição, o que devemos ressaltar quanto ao uso dos repelentes é que somente a sua ação isolada não assegura a eficácia na batalha contra os mosquitos. A casa ou a empresa devem estar sob um controle ambiental completo. O controle dos insetos-alvo deve incluir também a implantação de barreiras físicas como a instalação de telas em portas e janelas. Junte a isso a educação ambiental que diz respeito à eliminação de fontes de criadouros e também o controle químico de larvas e de mosquitos já adultos.

É claro que todos esses cuidados, sempre que possível, devem contar com o apoio de serviços confiáveis de dedetização, com profissionais qualificados que dominem a utilização de produtos de boa qualidade e que saibam compreender as especificidades de cada situação de infestação.

Deixe seu comentário

70 - 63 =