9 VERDADES E 1 MITO SOBRE DEDETIZAÇÃO

Que tal testar seus conhecimentos sobre dedetização? Listamos aqui 9 verdades e 1 mito sobre o assunto e querermos saber se você descobre qual dessas informações é pura balela. Vamos lá:  

1- Antes de dedetizar, é importante que se conheça a espécie da qual desejamos nos livrar para usar os produtos corretos.

2- Não há necessidade de uma limpeza muito pesada depois da dedetização.

3- Os animais de estimação sofrem tanto quanto as pessoas quando a casa está infestada.

4- Apenas uma dedetização é suficiente para manter o ambiente livre de pragas para sempre. 

5- A dedetização não deve ser feita somente em residências. É de extrema importância que as empresas também sejam dedetizadas, principalmente as de caráter alimentício.

6- O correto é DEDETIZAÇÃO, não DETETIZAÇÃO.

7- Com o avanço da tecnologia, os produtos utilizados na dedetização estão cada vez menos tóxicos para humanos.

8- As baratas, definitivamente, não sobreviveriam a um ataque nuclear.

9- Há milhares de espécies de aranhas, mas uma pequena parte é venenosa.   

10- A picada do escorpião amarelo pode ser letal para crianças e idosos.

O número 4 é um tremendo mito. Sabe                                                                                                                              por quê? Em todos os ambientes suscetíveis à infestação, a dedetização deve ser feita periodicamente e não apenas uma vez.

O ideal é que, em casas, o controle seja feito trimestralmente. Clique aqui e faça um orçamento.

DE QUANTO EM QUANTO TEMPO PRECISO FAZER UMA DEDETIZAÇÃO?

Controle regular de pragas é algo que deve ser levado a sério – e muito. Especialmente nos casos de prédios, condomínios e estabelecimentos comerciais. Nesses locais há sempre muitas pessoas convivendo e, em geral, cada um faz um descarte distinto de lixo e resíduos diversos.

Tudo isso (adivinha!) é um prato cheio para as pragas, animais que podem transmitir doenças para os humanos ou causar sérios prejuízos econômicos. Por isso, a contratação de uma empresa especializada em dedetização merece atenção especial pois ela é responsável por orientar adequadamente de quanto em quanto tempo é preciso fazer algum tipo de manutenção.

Como regra geral, as dedetizações devem ser feitas de 3 em 3 meses – mesmo que você não esteja vendo nenhuma praga no local. O motivo é simples: infestações não surgem do dia para a noite. Elas vão acontecendo aos poucos, até que ficam visíveis. Ou seja: mesmo que você não esteja vendo nenhum rato ou inseto, eles já podem ter voltado. Aí, vale a máxima: prevenir é melhor que remediar.

EM CONDOMÍNIOS, O MELHOR É EXPLICAR TUDO SOBRE DEDETIZAÇÃO ISSO PARA O SÍNDICO OU O ZELADOR .

Se você mora ou trabalha em um condomínio, é importante que o zelador, síndico ou algum responsável pela curadoria e manutenção do local esteja ciente dessas informações. Assim eles poderão tomar decisões cabíveis em cada caso. Por isso, não deixe de compartilhar este artigo com ele. Além disso, vale avisá-lo: ao contratar uma empresa de controle de pragas, exija sempre todos os alvarás e certificações necessárias. Esses documentos são uma garantia da segurança e qualidade do serviço.

Ao receber a visita de uma empresa de dedetização, procure se informar sobre o motivo dela indicar determinada conduta. Empresas sérias e de confiança irão expor as causas da infestação, os procedimentos necessários e os riscos envolvidos em todo o processo. Isso, na prática, demonstra cuidado e atenção com a segurança dos moradores.
Precisa de proteger o seu condomínio das pragas? Para isso, clique aqui e conte com a Insetan.

AS CHUVAS E A PROLIFERAÇÃO DE PRAGAS URBANAS

O calor e as chuvas formam um cenário bastante favorável para o surgimento das mais diversas pragas urbanas. Ratos, baratas, formigas, mosquitos, moscas, aranhas e até escorpiões podem aparecer nesta época do ano, quando as inundações atingem seus esconderijos e eles precisam sair em busca de alimento e abrigo para se restabelecerem. Eles podem ser atraídos por detritos diversos (lixo, resíduos e outros) que acabam se acumulando nos cantos internos e externos dos ambientes. Por isso, é importante atentar aos hábitos simples que podemos praticar para amenizar os efeitos das proliferações e evitar ao máximo, as chances de infestações.

As lixeiras devem sempre estar fechadas, tanto as que ficam no interior quanto as que são instaladas no exterior das edificações. Importante lembrar que não se deve deixar lixo acumulado por mais de 48h, uma vez que os resíduos pode atrair as pragas. Nas áreas externas como jardins e áreas de convivência, as lixeiras devem ser mais altas, pois os animais podem rompê-las e espalhar o conteúdo atraindo ainda mais pragas.

Também é importante tomar cuidado com as pias. Por incrível que pareça, lavar a louça também ajuda a manter as pragas longe de casa. Evite jogar resíduos sólidos no interior de pias e ralos. Lembre-se: se sua casa já está infestada, confie a eliminação destas pragas a uma dedetizadora. A Insetan, empresa de dedetização certificada pela ISO 9001:2015, conta com uma equipe qualificada, produtos licenciados pelo Ministério da Saúde e um serviço de eliminação de pragas comprovadamente eficaz. Clique aqui e faça um orçamento.

VOCÊ PENSA QUE ESTÁ SOZINHO (A) NA CAMA? LISTAMOS 7 CURIOSIDADES SOBRE ÁCAROS E PERCEVEJOS

Por mais que limpemos nossa casa e tenhamos boas práticas de higienes, dificilmente você estará sozinha (ou bem acompanhada) quando se deitar. Além de você(s), milhares de pequenos seres estão espalhados pelo colchão, prontos a devorar restos da sua pele – e até seu sangue. Não é filme de terror, então confira direitinho!

#1 – REIS DA ALERGIA

Os ácaros são aracnídeos (mesma classe das aranhas) minúsculos, visíveis apenas com microscópio. A proliferação deles em nossas casa, em especial no colchão e no travesseiro, é um dos principais fatores que desencadeiam crises respiratórias alérgicas.

#2 – ALIMENTO FÁCIL

Os ácaros adoram ficar em colchões e travesseiros porque é onde encontram alimento farto e fácil: pedaços da nossa pele que se desprendem naturalmente do corpo e do nosso cabelo.

#3 – FÓRMULAS EFICAZES

A boa notícia é que combater os ácaros não é assim tão difícil. Talvez você tenha de trocar seus travesseiros (ideal a cada dois anos), mudar lençóis com maior frequência e passar algum produto no colchão. Vaporizadores a seco são bem-vindos.

#4 – SANGUE NA MADRUGADA

Mais aflitivos ainda que os ácaros são os percevejos. Estes são pequenos insetos que gostam mesmo é de chupar nosso sangue durante a noite. Eles medem cerca de 6mm e têm cor marrom, fique de olho.

#5 – CAMAS E MALAS

Os percevejos são muito comuns em locais como hotéis, albergues, repúblicas… E adoram os países de clima mais fresco. Eles podem chegar até sua casa pegando uma carona na sua bagagem quando você está chegando daquela viagem chiquérrima.

#6 – COCEIRINHA INDESEJÁVEL

Acordar com coceiras e marcas de picada nas pernas ou braços é um sinal possível da presença de percevejos na casa.

#7 – VENENO NELES

Confirmada a infestação por percevejos, o ideal é chamar uma empresa especializada e solicitar um tratamento com pesticidas na casa.

Fonte: http://www.vix.com/pt/bbr/ciencia/2819/voce-pensa-que-esta-sozinho-na-cama-listamos-7-curiosidades-sobre-acaros-e-percevejos

A IMPORTÂNCIA DA DEDETIZAÇÃO NA ÉPOCA DE CALOR

Quando chegam as épocas de calor, as pragas urbanas não se demoram a dar o ar da graça. Basta a temperatura subir para baratas, mosquitos, formigas, moscas e outros insetos, além de ratos e pombos, aparecerem aos montes. São proliferações que, além do incômodo, causam prejuízo a objetos, móveis, alimentos, higiene e, o pior deles, à sua sua saúde. Por isso, a dedetização é tão importante. Todo cuidado é pouco para mantê-los longe de sua casa ou empresa.

Temperaturas acima de 32 graus aceleram o metabolismo dos insetos, fazendo com que se reproduzam numa velocidade maior. O aumento de lixo, de resíduos orgânicos e da oferta de água com as chuvas também fornece condições favoráveis para a reprodução e estabelecimento dos animais. 

Moscas, baratas e formigas, por caminharem sobre o lixo e também pelos alimentos, podem transmitir infecções e doenças gastrointestinais. Já os ratos transmitem a leptospirose e os mosquitos, sobretudo o Aedes aegypti, são causadores de graves doenças como a dengue, zika e febre chikungunya.

Sempre que precisar, ligue para uma dedetizadora de confiança que ofereça serviços de qualidade com equipe técnica capacitada e produtos certificados pelo Ministério da Saúde.

ATAQUES DE CUPINS COMPROMETEM ATÉ A ESTRUTURA DOS IMÓVEIS

CARIOCAS DEVEM TER AINDA MAIS CUIDADOS EM FUNÇÃO DAS CARACTERÍSTICAS DA CIDADE

Nunca subestime um rastro de cupim. Num trabalho quase sempre silencioso, estes insetos são capazes de comprometer móveis e estruturas inteiras de uma moradia. E, quando são descobertos, é possível que já estejam no local há mais de três anos. Por essa razão, a prevenção ainda é a arma mais poderosa contra essa praga.

As recomendações são ainda mais extremas para quem vive no Rio. A cidade oferece condições que esses animais adoram, como a mata que se mistura com os bairros e a umidade. O biólogo e proprietário da Rodantech Dedetizadora, Vinicius Rocha, conhece bem as consequências disso. Dentre as dez pragas que a empresa combate, 30% das demandas são por ataques de cupim.

— São de 40 a 70 chamados por mês — afirma ele. — E agora, com a chegada da primavera, aumenta a incidência, já que nos dias mais quentes começam as revoadas. Neste momento, eles estão na forma daquelas aleluias que ficam em volta da luz. Muita gente vê esses bichos e nem sabe que é cupim.

Rocha explica que há duas espécies mais recorrentes na cidade. A Cryptotermes brevis é aquela que ataca a madeira seca e mantém a sua colônia dentro das peças. Conforme os insetos se alimentam, geram fezes no formato de pequenos granulados, aquele “pó” comumente reconhecido como um indicativo de cupim.

Tal espécie, porém, tem um apetite menos voraz do que a segunda, a Coptotermes gestroi. Estes animais correspondem a 65% dos casos de infestação, de acordo com Rocha, e têm hábitos subterrâneos. Mas também podem formar outras estruturas de colônia nas edificações.

— Eles desenvolveram a habilidade de se instalar dentro da alvenaria, enquanto buscam pela celulose encontrada em peças fixas, como armários, portais e suportes de telhado — descreve Rocha. — E uma vez que entram num prédio de cem apartamentos, por exemplo, conseguem migrar muito rapidamente pelo meio de instalações elétricas ou paredes, formando túneis construídos com fezes, restos de alimentação e areia do solo.

A veterinária Francinea Souza acrescenta que frequentemente os cupins também fazem esse caminho em busca de alimento através de conduítes, o que causa ainda mais problemas aos imóveis afetados.

— Ao passarem por estes locais, os bichos produzem uma substância ácida que, somada a restos de fezes e saliva, causa grandes danos ao cabeamento elétrico, acrescentando o risco dos curtos-circuitos à lista de danos — descreve ela, que atua como gerente de pesquisa e desenvolvimento da empresa de inseticidas Dexter Latina. — Além disso, quando são altas, as infestações podem comprometer toda a estrutura ou o alicerce da construção, condenando o imóvel pelo consequente risco de desabamento.

INSETO DEMOCRÁTICO

O supervisor das equipes de controle de cupins da Insetizan, Geraldo Aragão, conta que existe uma máxima antiga entre as empresas do setor de que existem dois tipos de imóveis: os que já sofreram ataques do inseto e os que ainda vão sofrer.

— Não há um padrão de estruturas suscetíveis a ataques de cupins. Consideramos o inseto um dos mais democráticos que existem, pois atacam imóveis de variados tamanhos, das mais diversas classes sociais e regiões geográficas — diz ele, do alto de seus 46 anos de experiência no assunto.

Por isso a prevenção é tão importante. Como opina Vinicius Rocha, os brasileiros ainda não adotaram a cultura de se antecipar ao problema e, muitas vezes, acabam pagando um alto preço por isso.

Cuidados podem evitar a presença dos insetos – Editoria de arte

— A maior parte da demanda ainda é por serviços curativos. Numa rápida comparação, um armário de cozinha que custou R$ 5 mil reais pode ser totalmente destruído pelos insetos, até que a infestação seja descoberta. Enquanto isso, um trabalho preventivo teria custado aproximadamente 15% do valor do móvel — compara Rocha.

A tradutora Paula Cabral de Menezes tomou um susto quando descobriu os danos que uma colônia de cupins havia causado em sua casa. Ela mora num imóvel construído há mais de cem anos, onde a caixa d’água fica apoiada em uma estrutura de madeira sob o teto da cozinha. E foi exatamente esta base o alvo dos insetos.

— Notei um vazamento de água e pedi a um vizinho para checar. Durante a inspeção, ele também descobriu como a madeira que sustentava a caixa estava tomada por cupins — relata ela. — O recipiente é de cimento e comporta 500 litros. Se o problema não fosse solucionado a tempo, a estrutura poderia desabar com consequências drásticas.

Ela não fazia um trabalho de prevenção contra a praga há mais de cinco anos e desembolsou R$ 2.200 por uma dedetização em toda a casa.

— Se essa caixa tivesse caído, poderia ter matado alguém. Temos que ficar sempre atentatos, inspecionando tudo. Principalmente as madeiras que ficam mais escondidas — comenta Paula.

PRODUTO INFLAMÁVEL

Apesar de os serviços de descupinização não serem baratos, tentar acabar com uma colônia por conta própria pode não ser uma boa ideia. Quem faz o alerta é o engenheiro florestal Norivaldo dos Anjos, professor de manejo integrado de insetos florestais da Universidade Federal de Viçosa, em Minas Gerais.

— As espécies têm modos de vida diferentes, e um leigo não sabe como agir em cada caso — justifica ele.

O professor destaca também que algumas empresas vendem produtos adulterados, os quais oferecem risco à vida das pessoas, durante a aplicação.

— Há compostos à base de querosene que são altamente inflamáveis. Caso entre em contato com uma faísca na rede elétrica, podem causar grandes incêndios — alerta ele, citando o caso da Igreja Nossa Senhora do Carmo, em Ouro Preto, que foi incendiada por causa deste produto. — Além dos riscos, como o querosene evapora rapidamente, a substância tem efeito imediato, mas não residual.

Fonte: http://oglobo.globo.com/rio/ataques-de-cupins-comprometem-ate-estrutura-dos-imoveis-20169774#ixzz4QBsGJxmJ