OS REPELENTES ADEQUADOS PARA AS CRIANÇAS DA FAMÍLIA

OS REPELENTES ADEQUADOS PARA AS CRIANÇAS DA FAMÍLIA

Chegou a época mais propícia para o aumento das populações de mosquitos: O VERÃO. É nessa época também que temos as grandes epidemias que assolam o Brasil. A mais conhecida e que contagia mais pessoas é a dengue. Em 2015, foram registrados 1,5 milhão de casos de dengue no país de janeiro até 14 de novembro. Segundo artigo da Folha de S. Paulo, “um aumento de 176% em comparação ao mesmo período de 2014, quando foram registrados 555,4 mil casos. Mais recentemente, vimos também a chegada da Febre Chikungunya, também transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, e a Febre Zika que vem preocupando os médicos brasileiros.

De acordo com dados divulgados pelo Ministério da Saúde, 199 municípios brasileiros estão em situação de risco de surto de Dengue, Chikungunya e Zika. Neste cenário, como os pais podem proteger seus filhos? A partir de qual idade é recomendado o uso de repelentes por crianças e qual tipo adequado para cada faixa etária?

Prevenção primeiro!

A prevenção é a melhor forma de combate ao mosquito Aedes aegypti. Ele se cria bem próximo às nossas casas. Por isso, não deixe água parada para evitar que o mosquito possa se reproduzir. Esteja sempre atento à água parada em seu quintal e sobretudo às casas vizinhas.

Prevenção sempre!

SIM, a prevenção é a palavra de de ordem. Temos que tomar atitudes para evitar que nossa família seja atacada por estes insetos. Uma das formas recomendadas para eliminar os mosquitos é a instalação de repelentes, como aqueles que conectados à energia elétrica, aquecem certa substância, inofensiva aos seres humanos e à maioria dos animais de estimação, mas extremamente tóxico aos insetos. Ao detectar a presença dessas substâncias, através de suas antenas, a maioria dos insetos se afasta, permitindo que moradores da casa tenham uma boa noite de sono.

Há ainda os repelentes para o corpo. Veja quais são os melhores para cada idade de acordo com informações do site seupediatra.com.

Até os 6 meses: o site diz que “até os 6 meses de idade, o melhor repelente deve ser o olho dos pais”. Não existe nenhuma formulação aprovada para uso em crianças de tão pouca idade. Para cuidar de seu bebê, utilize roupas adequadas e evite deixar a pele exposta para que o mosquito possa picar. Proteja o quarto com telas e cortinados, principalmente a região onde o berço está localizado. Realize o controle de pragas em sua casa frequentemente.

Dos 6 meses aos 2 anos: estas crianças ainda são muito novas para se utilizar produtos químicos na pele, mesmo assim, existem composições autorizadas para essa faixa etária. O site seu pediatra.com recomenda pedir ao seu médico de confiança outro produto em caso de estar em localidades em que haja grande risco de infestação.

Dos 2 aos 12 anos: busque as versões para crianças dos repelentes. Aqueles que têm a inscrição “kids”, “infantil” ou “junior”. Os princípios liberados pelo Ministério da Saúde são Icaridina e DEET.

Leia sempre o rótulo, siga as recomendações e veja quais as substâncias ele contém. Vale lembrar que o melhor é seguir a orientação do pediatra com relação ao que usar.

 

Foto: Pexels.

Deixe seu comentário

5 + 2 =