Prevenção de pragas na indústria alimentícia

Prevenção de pragas na indústria alimentícia

Prevenir as pragas em restaurantes, bares e cozinhas industriais é um grande desafio para empresários. Além da cozinha, os estoques também são outro ambiente bastante propício ao aparecimento de insetos e roedores, uma vez que existe bastante oferta de alimento.

Segundo a cartilha “Boas Práticas para Serviços de Alimentação”, publicada pela Agência Nacional de vigilância Sanitária (Anvisa), para evitar que insetos e outros animais entrem em ambientes em que sejam manuseados alimentos, as janelas devem possuir telas e devem ser retirados os objetos sem utilidade da área de trabalho.

A agência recomenda ainda que sempre haja rede de esgoto ou fossa séptica. As caixas de gordura e de esgoto devem estar localizadas fora da área de preparo e armazenamento de alimentos. “Os insetos e outros animais apresentam micróbios espalhados em todo o corpo. A área de alimentos é atrativa para esses animais que, ao entrar em contato como os alimentos desprotegidos, podem transmitir os micróbios”, explica.

Mesmo com as medidas de prevenção, os gestores de estabelecimentos gastronômicos devem investir no controle de pragas a partir de processos químicos. A periodicidade de desinsetização deve ser no mínimo duas vezes ao ano, de acordo com a legislação vigente, alerta o guia da Anvisa, mas cada estabelecimento deve avaliar as condições de infestação e ajustar a periodicidade conforme a necessidade.

A bióloga e responsável técnica da Insetan Viviane Avelar instrui empresas do ramo alimentício a manter uma espécie de ‘rotina sanitária’.  “De forma geral”, ela explica,  “para garantir um ambiente com níveis de infestação constantemente o mais próximo possível à zero, a recomendação é que estabelecimentos do setor alimentício realizem a desinsetização e a desratização com frequencia mensal”, sugere a bióloga.

Cuidados durante a desinsetização

  1. Durante os procedimentos, os produtos desinfetantes não devem atingir alimentos, equipamentos e utensílios. Estes devem ser armazenados em recipientes com tampa ou sacos plásticos
  2. Após a aplicação dos produtos, alimentos, equipamentos e utensílios devem ser higienizados para evitar que algum cliente ingira o desinfetante.
  3. Escolha empresas prestadoras de serviços que tenham registro e utilizem produtos regularizados pelo Ministério da Saúde.

(RESOLUÇÃO RDC Nº 216 / 2004)

Deixe seu comentário

45 + = 46