Pergunte ao Especialista: Há um veneno específico para combater formiga fantasma?

Esta é a seção Pergunte ao Especialista. Aqui você tira todas as suas dúvidas sobre insetos e pragas urbanas. Deixe sua pergunta nos comentários ou envie um e-mail para a gente!

formiga_tapinoma.melanocephalum

Dúvida:
Meu carro está infestado por um inseto que eu creio ser a formiga fantasma (pela aparência e pelas informações que encontrei na internet esse é o termo mais usado). Há alguma indicação de veneno para este tipo de formiga? Não sei qual produto é eficaz.
Pergunta enviada por Paulo Henrique, de São Paulo.
Resposta:
Recomendamos que você procure uma empresa controladora de pragas devidamente legalizada em sua região para que o controle dessa praga seja feito com segurança e eficiência. Caso tenho dificuldades de encontrar uma empresa, entre em contato com a Associação dos Controladores de Vetores e Pragas Urbanas de São Paulo (APRAG) para receber uma lista de empresas desse segmento.

Pergunte ao Especialista: Trabalhar com produtos químicos pode afetar de alguma forma a amamentação?

Seja bem-vindo à seção “Pergunte ao Especialista”. Aqui você tira todas as suas dúvidas sobre insetos e pragas urbanas. Mande suas perguntas para a gente!
Dúvida:
Trabalho no controle de Dengue usando os produtos Temephos e Alfacipermetrina, mas tive um bebê há cinco meses e em outubro retorno da licença maternidade. Como minha filha só se alimenta de leite materno preciso saber se trabalhando com esses venenos todos os dias posso prejudicá-la através da amamentação.
Pergunta enviada por Laila Moraes.
Resposta:
Você poderá exercer suas atividades laborais normalmente sem risco de prejudicar seu bebê. No entanto vale lembrar que você deve estar sempre atenta a utilização correta dos equipamentos de proteção individual (EPI) necessários ao seu trabalho e a aplicação de cada tipo de formulação.
 

Como as abelhas podem levar uma pessoa à morte

O site do jornal Estadão publicou hoje uma notícia sobre a morte de um sargento da Polícia Militar carioca após um ataque de abelhas, ocasionado por um tiroteio que acertou uma colmeia. A princípio acreditaram que o policial fora atingido por um tiro, mas logo que o corpo foi encontrado a Polícia confirmou a morte foi em decorrência das picadas dos insetos.
Sabemos que uma ferroada de abelha é algo bastante doloroso, mas nem sempre nos damos conta do risco que essa situação oferece. E aí fica a pergunta: como as abelhas podem levar um ser humano à morte?
A bee on a honeycomb (close-up)
Apitoxina é o nome do veneno produzido pelas glândulas no abdômen da abelha e depositado nas vítimas através de um canal no ferrão. Em pessoas alérgicas esse veneno pode levar à morte em minutos, já que ele causa uma reação anafilática que afeta o funcionamento do coração e do sistema circulatório. Em um ser humano não alérgico a morte por picadas de abelhas também pode acontecer, mas essa situação é bem mais rara: em seu estado normal de funcionamento o organismo do homem pode suportar até 20 picadas por quilo de peso corporal (em média 1.400 picadas para uma pessoa de 70kg). É raro, mas acontece. Então fique atento e proteja sua casa e sua família do perigo das abelhas.
Com informações dos sites Ambiente Brasil e Manual Merck.

Saiba como combater os ratos de forma efetiva

Nos últimos meses circulou pela internet uma receita caseira para matar ratos, que consistia em colocar feijão cru moído como isca para os roedores – o pó, que é tóxico, mataria as pragas ao ser ingerido. Essa e outras tantas maneiras amadoras de acabar com os ratos não são recomendadas por especialistas, que insistem em afirmar a ineficiência dessas técnicas. Então como fazer para combater os roedores?
Em uma reportagem publicada no site de notícias UOL o veterinário sanitarista e mestre em saúde pública, Constâncio de Carvalho Neto, explica que o primeiro passo é identificar o tipo de espécie que invadiu sua casa. Existem duas: as residentes, como o camundongo e o rato preto que se abrigam no interior das casas e nos telhados; e as não residentes, como as ratazanas que vivem nos esgotos ou em tocas subterrâneas de terrenos baldios.

Rato preto é da espécie residente e se abriga nos telhados.
Rato preto é da espécie residente e se abriga nos telhados

Depois de identificar a espécie, o veterinário recomenda que a pessoa descubra de onde eles estão vindo, onde fizeram ninhos (no caso dos residentes) e as fontes de alimentos que facilitam a permanência dessas pragas. Além da prevenção, é fundamental manter o ambiente limpo. O farmacêutico bioquímico Eduardo Sayegh recomenda, por exemplo, que o lixo seja muito bem embalado e colocado na rua em horário próximo ao da coleta, a fim de que não fique exposto por muito tempo e atraia pragas urbanas. Para quem tem animais de estimação o especialista recomenda não deixar restos de ração nos vasilhames, que devem ser esvaziados e lavados todas as noites para evitar que o resto de alimento dos bichos seja um atrativo para os roedores.
Além das dicas acima, os especialistas recomendam o combate profissional aos ratos. Evite as receitas caseiras como o chumbinho (cuja venda inclusive é proibida em todo o país por ser extremamente tóxico) e outros venenos improvisados. As pessoas podem recorrer aos raticidas vendidos em supermercados, mas a recomendação dos profissionais entrevistados na reportagem é unânime: para um controle efetivo a melhor alternativa é contratar uma empresa séria, que execute um trabalho de desratização coordenado por profissionais especializados e comprometidos. Então se você estiver precisando de uma ajuda para combater os ratos e outras pragas em sua casa ou empresa, não pense duas vezes: chame a Insetan!
chumbinho
O chumbinho é um veneno muito tóxico e sua venda é proibida no Brasil

Feijão cru: um raticida?

Dr.Constancio de Carvalho Neto
Médico Veterinário Sanitarista
Especialista em controle de pragas

Provavelmente devido minha especialidade profissional, controle de pragas e vetores, tenho sido perguntado com freqüência crescente (e preocupante) sobre o “inofensivo“ uso de feijão cru como raticida. Fatos e boatos circulam com velocidade espantosa através da Internet e esse possível “novo” uso para o humilde feijão nosso de cada dia, me tem sido inquirido quase que diariamente a partir dos mais diversos pontos de nosso país. Feijão cru tem efeito raticida? Poderia ser usado inofensivamente para eliminar roedores sem qualquer risco para humanos ou outros animais? É verdade ou é mentira? Respondo:
De onde surgiu essa história?
R: Em 1994, portanto há 14 anos atrás, um grupo de pesquisadores da Universidade Federal de Pelotas/RS, FAEM / Depto. de Ciência e Tecnologia Agroindustrial, liderado pelo Prof.Pedro Antunes, publicou um trabalho científico onde analisaram quatro cultivares de feijão similares entre si comumente encontrados no comércio brasileiro (Rico 23, Pirata 1, Rosinha G2 e Carioca). Os pesquisadores estudavam o valor nutricional desses cultivares e também os fatores antinutricionais como a antitripsina e a lectina (duas substâncias
tóxicas existentes em todos os feijões). Nesse ensaio, ratos brancos de laboratório (albinos da espécie Rattus norvegicus) foram submetidos a uma dieta exclusiva desses cultivares de feijão cru e os pesquisadores apresentaram suas conclusões. No entanto, todos os ratos do estudo morreram, aliás como seria de se esperar dada à presença daquelas substâncias tóxicas no feijão cru e que são neutralizadas durante o processo de cozimento, ao qual normalmente o feijão é submetido antes do consumo. Muito recentemente, alguém leu esse trabalho e ao perceber que os ratos haviam morrido, imediatamente imaginou que o feijão
poderia ser usado como um “raticida”. Pior que isso, esse alguém, sem nenhum conhecimento de causa, prontamente tachou esse “método” de seguro e sem risco, pois raciocinou que se nós humanos e outros animais comemos feijão e nada nos acontece de mal enquanto os ratos comem e morrem, estaria aí uma solução simples e barata para o eterno problema das infestações de roedores. Eureka! O Prof.Pedro Antunes inquirido sobre essa versão apócrifa que circula na forma de post na Internet, mostrou-se horrorizado com o desvio dado à sua pesquisa, segundo nos conta o Médico Veterinário Ricardo Mathias que o entrevistou, pois a intenção dos pesquisadores era o de demonstrar o efeito nocivo do feijão cru que desaparecia quando o feijão era cozido.
Como os ratos morrem comendo feijão cru?
R: Os fatores antinutricionais existentes no feijão (também estão presentes em outras leguminosas como a soja), a antitripsina e a lectina, atuam de forma danosa em diferentes pontos do organismo, seja de um rato, seja de um cão ou seja mesmo de um ser humano podendo levar à morte na dependência da quantidade ingerida. A antitripsina atua inibindo a formação de diversos enzimas que participam do processo de digestão nos mamíferos, incluindo a tripsina., as quais hidrolisam as proteínas que ingerimos transformando-as em aminoácidos, para que possam ser absorvidas pelo nosso organismo. Sua ação se dá ao nível do duodeno, a primeira porção de nosso intestino logo depois do estômago. A falta de tripsina provoca sérios problemas pancreáticos e mesmo pulmonares. Já a lectina, simplificando, é uma proteína que, quando presente em mamíferos monogástricos (portanto excluem-se os bovinos, os caprinos, os ovinos, etc), provoca aglutinação das hemácias (formando pequenos coágulos) e assim provocando entupimentos de vasos de menor calibre. Ora, os tais ratos do experimento foram submetidos a uma dieta exclusiva e à vontade, constituída por feijão cru, onde estão presentes em altas concentrações essas proteínas danosas (antitripsina e lectina) de curso mortal para mamíferos monogástricos (que têm um só estômago). Só tinham que morrer mesmo!
E por que não sentimos nenhum problema
quando comemos feijão?
R: Porque no processo de cozimento do feijão, essas proteínas danosas são destruídas podendo restar bem pouco, não em quantidades suficientes para nos causar problemas. Contudo se ingeríssemos feijão cru, especialmente na forma de farinha, certamente sofreríamos o mesmo que se passou com os ratos do experimento.
De qualquer forma, posso usar feijão cru para
matar ratos?
R: a rigor, pode. Contudo haveria um primeiro grande problema a ser resolvido: convencer os ratos a comer feijão cru! Eles detestam, e têm muitas boas razões para isso! A Natureza os ensinou a evitar esse e outros grandes perigos. Por isso sobrevivem há tanto tempo. Outra questão importantíssima: o risco envolvido. É perigoso sim! Crianças poderiam por qualquer razão encontrar e ingerir esse feijão cru ou sua farinha! Cães e gatos igualmente não se deixam convencer a fazer do feijão cru um alimento, mas crianças…
Mas eu li na Internet…
R: Eu sei, eu também li! Contudo, lembre-se que a Internet não é a garantia da verdade, bem ao contrário. A quantidade de boatos, inverdades e erros de interpretação que circula pela Internet é assustadora. Essa de usar feijão cru para matar ratos é outra dessas enormes besteiras que por aí circula e que pessoas, e mesmo técnicos mais desavisados, saem repetindo e repetindo, como se verdade fosse. Sinais dos tempos!

Pergunte ao Especialista: Há veneno contra a incidência de escorpiões amarelos?

Seja bem-vindo à seção “Pergunte ao Especialista”. Aqui, você tira todas as suas dúvidas sobre insetos e pragas urbanas; é só você mandar suas perguntas para a gente.
Dúvida:
Há veneno contra a incidência de escorpiões amarelos? Vocês aplicam e fazem controle deste tipo de praga? (pergunta enviada por Robert)
Resposta:
Bom dia Robert,
Os escorpiões são animais carnívoros e alimentam-se, no meio urbano, basicamente de baratas (insetos que devem ser controlados juntamente aos escorpiões).
O controle deve ser realizado SOMENTE com produtos domissanitários que possuem registro na ANVISA para o controle de escopiões, pois estes têm capacidade de perceber a existência de inseticidas comuns no ambiente e podem permanecer no interior de suas “tocas” por um período de até um ano e meio sem se alimentar. Junto a esse, devem ser adotadas medidas físicas como telagem de ralos e eliminação de fontes abrigo para que o ambiente torne-se impróprio ao alojamento de pragas oriundas de ambientes não tratados.
Realizamos esse tipo de controle com eficácia garantida. Entre em contato com nossa Central de Atendimento e faça um orçamento.

Veneno de escorpião é matéria-prima para remédio anticancerígeno

Uma espécie endêmica de escorpião produz um veneno que será usado para curar qualquer tipo de câncer. Pelo menos é nisso que pesquisadores cubanos estão trabalhando. A partir do veneno do escorpião Rhopalurus junceus – espécie que só é encontrada em Cuba – a firma Labiofam produziu um medicamento homeopático anticancerígeno. Continue lendo “Veneno de escorpião é matéria-prima para remédio anticancerígeno”