Como os vaga-lumes acendem suas luzes?

Em ambientes de maior umidade do ar, como matas e florestas, é muito comum ver vaga-lumes voando a noite. Apesar de não ser um inseto dos mais raros, sua característica mais marcante ainda deixa muita gente intrigada. Afinal, como os vaga-lumes acendem suas luzes?
Para início de conversa é bom esclarecer que existem aproximadamente duas mil espécies de vaga-lumes conhecidas. E que esse inseto não é nada mais do que um besouro, membro noturno da espécie Lampyridae. O que o distingue de outros insetos luminescentes são as asas.

vaga-lume_asas

O mecanismo que permite aos vaga-lumes ascenderem suas luzes é aparentemente simples: eles possuem em seus abdomens órgãos de luz dedicados. Quando os vaga-lumes inspiram o oxigênio células especiais combinam esse elemento a uma substância chamada “luciferina”, que produz a luz com pouquíssimo calor.
O sistema usado pelos vaga-lumes para acenderem suas luzes é não apenas curioso, como útil. O tempo e o padrão entre cada “piscada” é único para cada espécie, pois funcionam como um sinal que ajuda o inseto a encontrar potenciais parceiros. Mas a forma como o vaga-lume coordena esse “liga/desliga” de suas luzes ainda é uma incógnita para os cientistas.
Agora que você já sabe como os vaga-lumes acendem suas luzes, compartilhe essa informação com seus amigos!

(Crédito: Taylor S. Kennedy/Site National Geographic)
(Crédito: Taylor S. Kennedy/Site National Geographic)

Com informações do site National Geographic.

Grilos ou vaga-lumes?

A gente não tem nenhum preconceito com os grilos. Mas é muito comum usar na linguagem humana, de forma figurada, o nome dessa praga inofensiva. Vai dizer que você nunca ficou “grilado” com alguma coisa?

papo-de-praga-postarblogeFB