O problema em alimentar os pombos

Os pombos estão em todo lugar, nas menores e nas maiores cidades do mundo. Eles andam pelas praças, pelas ruas residenciais e fazem ninhos nos telhados. Esses animais já fazem parte da paisagem de praticamente todo lugar. E é por isso que devemos ter tanto cuidado quando tratamos destas aves.
Os pombos são vetores de diversas doenças graves que acometem os seres humanos. Vem daí o grande problema em alimentá-los, viabilizando que se estabeleçam no local, continuando a ser um perigo. Quando colocamos um freio na atenção dada aos pombos e não os alimentamos, torna-se mais fácil o controle do tamanho de sua população. Sendo um transmissor de mais de 20 doenças incluindo a criptococose, também pode-se acionar uma dedetizadora de confiança que trabalhe com o manejo de aves. A técnica permite, com responsabilidade, repelir os pombos e fazer com que eles não voltem a se restabelecer no local.

As doenças transmitidas por pombos devem ser levadas a sério

Os pombos são tão presentes em Osasco, que acabam fazendo parte do nosso cenário urbano. Parecem, em primeiro momento, inofensivos, mas as aparências enganam. Estas aves transmitem diversas doenças que podem levar até à morte.
Nesta matéria, nossa preocupação principal é trazer a você, leitor, quais as doenças que os pombos transmitem, até para que seja mais fácil saber como nos protegermos delas.
As grandes cidades são o cenário ideal para que as aves se reproduzam, já que elas têm como habitat locais com restos de comida e grãos. Além disso, restos de lixo também acabam sendo uma abundante fonte de alimento para os pombos.

As doenças transmitidas pelos pombos

Criptococose: esta é a principal doença transmitida pelas aves. Sua transmissão ocorre através da inalação de fungos presentes nas fezes do animal. A criptococose ataca o pulmão, podendo chegar até o sistema nervoso central. Os sintomas são: dor de cabeça, sonolência e febre. Em alguns casos, a doença pode evoluir e causar meningite. Aproximadamente, 30% das pessoas infectadas morrem.

Histoplasmose: esta é outra doença transmitida pelo fungo presente nas fezes dos pombos. Ela dá origem a uma micose que pode ser tão profunda que atinge até os órgãos internos.

Salmonelose: parecida com uma intoxicação alimentar essa doença é transmitida principalmente por carne contaminada. Os sintomas são diarreia e dores abdominais.

Dermatites: além destas doenças já conhecidas, os pombos podem carregar em suas asas micro-organismos que causam dermatites. Os sintomas são coceiras e infecções, que podem evoluir para alergias que afetam o sistema respiratório.

Como evitar as doenças transmitidas por pombos?

Não criar ambientes propícios para a proliferação das aves é o primeiro passo para evitar as doenças transmitidas por elas. Manter forros e telhados fechados também ajuda, impedindo que o animal possa fazer seus ninhos.

Alguns locais classificam os pombos como pragas e possuem programas permanentes, que impedem a proliferação dos animais. Em Osasco, tentamos contato com a Prefeitura para saber o trabalho que é realizado neste sentido mas, não obtivemos resposta até o fechamento da matéria.

Fonte: Osasco Notícias

Como pombas podem ajudar a detectar câncer de mama

Pesquisas recentes apontaram que pombas teriam a capacidade de identificar tecido canceroso em mamografias e imagens digitalizadas.
Um estudo, divulgado na publicação científica Plos One, apontou que pombas acertaram 99% dos casos.
As pesquisas, lideradas pelo professor de patologia Richard Levenson, da Universidade da Califórnia, demonstraram que estas aves são capazes de distinguir entre tecido saudável e tecido canceroso.
Em um dos experimentos, a equipe de Levenson apresentou 144 imagens em preto e branco e em cores a oito pombas. Após cada imagem, a ave deveria optar por uma tela azul ou amarela para indicar a qual categoria o tecido pertencia – saudável ou doente.
Cada acerto foi recompensado com comida. No caso de erro, as pombas seguiam vendo imagens. Em duas semanas, a precisão aumentou de 50% a 85%. Para evitar que as aves pudessem identificar as imagens por memorização, novas foram intercaladas.
O segundo experimento, para identificação de microcalcificações, que são geralmente associadas à presença de câncer, também foi exitoso.
Nem a ausência de cor nem a mudança na compreensão das imagens afetou a habilidade das pombas, segundo o estudo.
As respostas combinadas das oito aves deram um resultado final de 99% de precisão.
O único teste que mostrou resultados menos animadores foi um no qual os animais deveriam identificar massas suspeitas nas mamografias: conseguiram detectar sua presença, mas não determinaram se eram benignas ou malignas.
Há de se reconhecer, no entanto, que esta é uma tarefa extremamente difícil, inclusive para radiologistas com muita experiência.

Pombas no consultório?

Como é possível que um animal com um cérebro menor que a ponta de um dedo possa, depois de 25 dias de treinamento, colocar-se no mesmo nível de um radiologista experiente com anos de estudo?
Apesar do tamanho do cérebro, as aves têm uma grande inteligência visual que supera a de humanos. Enquanto os nossos olhos têm três receptores de cores, os destas aves possuem cinco.
Além disso, estes animais têm uma visão periférica melhor que a de seres humanos, disse Edward Wasserman, professor da Universidade de Iowa e coautor do estudo.
Apesar disso, o talento recém-descoberto das pombas não significa que elas poderão substituir os radiologistas em consultórios médicos.
Pesquisadores acreditam, porém, que as aves poderão ser usadas para ajudar engenheiros a avaliar novas técnicas de análise por imagens.
Fonte: BOL

Pergunte ao Especialista: Como acabar com as larvas que apareceram na minha casa por causa de um pombo morto?

Seja bem-vindo à seção “Pergunte ao Especialista”. Aqui você tira todas as suas dúvidas sobre insetos e pragas urbanas. Mande suas perguntas para a gente!

Foto: Emídio Marques (divulgação/internet)
Foto: Emídio Marques (divulgação/internet)

Dúvida:
Tem um pombo morto em minha casa e há uns dois dias vejo algo de estranho: minha casa está infestada de larvas de pombo e eu não sei mais o que fazer. Estou desesperada.
Pergunta enviada por Jamile.
Resposta:
Para solucionar o problema apresentado você deve retirar o cadáver do pombo e descartá-lo. As larvas que você observou podem ser larvas de moscas necrófagas, então ao remover o pombo morto por consequência você eliminará as larvas. Após esse procedimento o local deve passar por higienização completa com solução de cloro ou produto similar.
Clique aqui para ler tudo o que já publicamos em nosso blog sobre pombos.

Superpopulação de pombos é problema de saúde pública

Quando as pessoas passam pelos pombos nas ruas muitas nem imaginam a quantidade de doenças que essa ave é capaz de transmitir. Aparentemente inofensivos, os pombos já são considerado um problema de saúde pública, de acordo com um estudo da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp), em São Paulo.

pombos

A bióloga Margarete Almeida, pesquisadora responsável pelas análises, chegou à conclusão que os pombos podem transmitir até 60 doenças para os seres humanos, como a meningite. O pior dessa estatística é a forma de contaminação: na maioria das vezes o contágio pode acontecer quando as pessoas inalam fungos presentes nas fezes da ave. Dessa forma a pesquisadora concluiu que o vento pode propagar ainda mais doenças, dispersando o fungo pela cidade e contaminando outros animais e até frutas nas árvores. O assunto é sério e já fizemos um post sobre isso aqui no nosso blog.
Apesar do resultado negativo, a pesquisa revelou uma informação curiosa: os pombos só representam um problema na zona urbana; em áreas silvestres eles não oferecem riscos e trazem benefícios, pois comem insetos, contribuindo para o controle das pragas. Ainda assim, o maio entrave para combater o problema nas cidades é conscientizar a população, que ainda enxerga a ave como algo “bonitinho” pela simbologia ligada à pomba da paz. Com essa visão as pessoas acabam dando comida aos pombos nas ruas e até em ambientes residenciais, como jardins e quintais, o que só contribui para aumentar a reprodução da espécie e, por consequência, as doenças que ela transmite.
Com informações do site Ambiente Brasil

Pergunte ao Especialista: Gostaria de saber se vocês fazem controles de pombos também.

Nossa seção “Pergunte ao Especialista” continua recebendo várias dúvidas. Ainda tem dúvidas sobre insetos e pragas urbanas, mande suas perguntas para a gente.
Dúvida:
Olá! Gostaria de saber se vocês fazem controles de pombos também. O Telhado da casa dos meus pais está infestado deles. Seria algo parecido com o que esta empresa de São Paulo faz: http://www.loremi.com.br/servicos/controle-de-pombos/ Abraço! (pergunta enviada por Alan)
Resposta:
Bom dia Alan,
Realizamos sim o serviço de controle/repelência a pombos. Para que seja determinada a melhor metodologia a ser utilizada, precisamos realizar uma vistoria adequada no ambiente e verificar os locais de pouso e nidificação das aves.
Agende uma visita, nossa equipe está capacitada a atendê-lo e solucionar o problema apresentado.

Pombos: Novas pragas urbanas



A clássica cena de uma senhora jogando migalhas aos pombos pode ser mais perigosa do que se imagina. Segundo o Ministério da Saúde, os pombos domésticos podem transmitir mais de 57 doenças catalogadas. Por isso, o pombo também é considerado uma praga urbana.

Comum em todos os grandes centros urbanos, a ave voa despercebida sobre nossas cabeças. Entre as doenças transmitidas pelas fezes do pombo estão:

  • Cripococose, doença pulmonar causada por fungos. As manifestações mais comuns são a pneumonia e a meningite

  • Histoplasmose, micose que afeta os órgãos internos

  • Salmonella, doença causada por bactérias que causam uma infecção gástrica

Como evitar os pombos

Assim como a maioria das pragas urbanas, para evitar a proliferação, é preciso cortar as ofertas de alimentos. Por isso, não alimente as aves, cuide do seu lixo orgânico que pode servir como alimento. Outra boa dica é eliminar os ninhos das aves, normalmente em telhados ou próximos às casas. Lembre-se:

  • Sempre utilize luvas e máscaras ao limpar as fezes ou retirar ninhos da sua casa

  • Não varra as fezes secas do quintal ou das calçadas. Pois, ao varrer as fezes secas, as bactérias causadoras de doenças podem ficar suspensas no ar e serem inaladas. Por isso, molhe as fezes primeiro, antes de retirá-las.

  • Em caso de grande infestação não use repelentes para pombos, já que esses produtos também afetam outras aves inofensivas. Nesse caso, procure uma empresa de controle de pragas urbanas.