O cérebro dos insetos

Lugar de cérebro é na cabeça, certo? Depende da espécie. Algumas aranhas, por exemplo, tem partes do cérebro nas pernas já que o tamanho do órgão extrapola os limites de suas cabeças. Realmente é muita coisa para um corpo tão pequeno: de acordo com o instituto de pesquisas americano Smithsonian Tropical Research Institute (STRI) o sistema nervoso central das menores aranhas do mundo pode ocupar até  80% das suas cavidades corporais e aproximadamente 25% de suas pernas.
Outra curiosidade do mundo dos insetos são as formigas que possuem um fungo no cérebro. Nesse caso o mais surpreendente é a forma de atuação desse fungo do gênero Cordyceps: ele se infiltra na formiga e vai se alimentando dos órgãos não-vitais. A segunda fase desse processo é uma espécie de lavagem cerebral na formiga. As substâncias químicas lançadas pelo fungam forçam o inseto a escalar uma planta até o topo, onde a formiga é morta pelo fungo. E a situação fica ainda pior: da cabeça da formiga morta brota um pequeno cogumelo. Se você for curioso o suficiente para assistir a todo esse processo, há um vídeo detalhado neste link.

megaphragma_mymaripenne

Por último, mas não menos interessante, os cérebros minúsculos e potentes das vespas. Dona de um dos menores sistemas nervosos entre os insetos (composto por apenas 7.400 neurônios), a vespa da espécie Megaphragma mymaripenne (foto acima) consegue voar, procurar comida e encontrar locais corretos para depositar seus ovos. Tarefas bem complexas para tão poucos neurônios, principalmente se compararmos com as moscas que fazem atividades semelhantes e têm 340 mil neurônios.
Veja essas e outras curiosidades sobre o cérebro de alguns animais aqui.

Inspirados nos olhos dos insetos cientistas criam câmera digital

A vida imita a arte. E o homem cada vez mais imita a natureza. Essa semana falamos aqui no blog sobre o inseto com engrenagens, sistema mecânico que até então acreditávamos ser uma autêntica invenção humana. Agora a natureza serviu de inspiração para a invenção de câmeras digitais.

camera_olhos_insetos
A criação e a inspiração. Foto: Universidade de Illinois e Instituto Beckman

Os olhos compostos de insetos como libélulas e formigas operárias serviram de base para uma equipe de cientistas de diversos países criar uma câmera com amplo campo de visão e profundidade. O equipamento inovador poderá ter várias aplicações em diversas áreas do conhecimento.
A câmera possui 180 microlentes flexíveis que capturam imagens em 160°, dados semelhantes à visão de alguns insetos. A própria forma semiesférica do equipamento lembra o olho de um inseto quando fotografado de forma ampliada.
Comparação entre a câmera e o olho de um inseto ampliado. Foto do inseto: Ondrej Pakan. Foto da câmera: Universidade de Illinois e Instituto Beckman)
Comparação entre a câmera e o olho de um inseto ampliado. Foto do inseto: Ondrej Pakan. Foto da câmera: Universidade de Illinois e Instituto Beckman

Para saber mais sobre a invenção, clique aqui.

Mel para formigas

Quando se fala em mel logo associamos às abelhas, responsáveis pela fabricação desse delicioso alimento. Mas depois deste post você provavelmente passará a assimilar o mel a outro inseto: a formiga!
A Formiga-Pote-de-Mel é típica das regiões mais quentes, especialmente desertos na região da Austrália. Essa espécie armazena o mel para auxiliar na sobrevivência da colônia durante os tempos de seca, em que a comida é escassa. O abdômen delas funciona como uma espécie de reservatório, chegando a atingir o tamanho de uma uva. Dentro do formigueiro elas liberam o mel armazenado em seu corpo, que serve de alimento para as demais formigas.

Parece um processo muito agressivo, mas por incrível que pareça a formiga reservatório não apenas sobrevive a tudo isso, como retoma as formas originais de seu corpo. Impressionante não é mesmo?
Com informações do site Mais Natureza.
 

Formiga Atômica

Presentes em todas as mídias, insetos e pragas urbanas quase sempre são personagens de histórias divertidas. E pode até não ser da sua época, mas uma formiga é a estrela de um desenho animado super bacana.
A Formiga Atômica é um desenho animado de um super-herói criado por Hanna-Barbera em 1965. Sua base fica num formigueiro próximo da cidade, onde ela tem um computador do tipo mainframe e equipamentos de exercício. Seus poderes consistem na habilidade de voar, super-velocidade e força descomunal. Ela é contactada pela polícia para resolver os crimes, sendo algumas missões parodiadas de Batman.
A frase de ação da Formiga Atômica “Up and At ‘em, Atom Ant!”, foi traduzida pela dublagem original brasileira para “Lá vai a triônica, Formiga Atômica”. Era proferida a cada ataque. Sempre que não conseguia ter força suficiente para uma determinada tarefa, ela voltava ao seu formigueiro, levantava os halteres algumas vezes e voltava para completar sua missão.
Vale a pena conferir um episódio!
http://www.youtube.com/watch?v=KcsQDSnzVqc

Que dó, que dó…


Há pouco tempo na internet surgiu um vídeo bem engraçadinho de dois irmãos gêmeos. Um deles mata uma formiga e o outro, morrendo de pena do inseto, chora muito e repete incansavelmente “Que dó, que dó, que dozinha”.

O vídeo virou hit no YouTube e comoveu milhões de brasileiros pela fofura do gêmeo que foi solidário com a formiga. Mas em uma excelente sacada de marketing e aproveitando o buzz do vídeo dos gêmeos, a empresa fabricante da famosa formiguinha Smilinguido mandou formigas de brinquedo para alegrar os irmãos.
Muito bem pensada a ação da Smilinguido, que aproveitou uma oportunidade natural da internet para promover a marca de uma forma inteligente.

Pesquisa descreve processo de invasão das formigas lava-pés no mundo

Formigas lava-pés

Pesquisa publicada pela revista Science conta a história da invasão mundial promovida pela formiga lava-pés (Solenopsis invicta), muito comum em nosso país e uma das principais pragas urbanas invasoras no mundo. Estas pragas urbanas causaram grande preocupação nos últimos anos devido ao seu deslocamento entre países.
Oriunda da América do Sul, a formiga lava-pés se deslocou por todo continente sul-americano até chegar aos Estados Unidos, onde se estabeleceu no sul do país há quase cem anos. Dali, iniciou sua conquista pela Califórnia, Caribe, China, Taiwan, Filipinas e Austrália em pelo menos nove invasões que aconteceram de forma independente. Continue lendo “Pesquisa descreve processo de invasão das formigas lava-pés no mundo”