Encontrado no Brasil o primeiro inseto fêmea com órgão sexual masculino

Minas Gerais, Bahia e Tocantins são o berço de uma descoberta científica que vai mudar o rumo das pesquisas sobre a sexualidade dos animais. Pesquisadores da Universidade Hokkaido, Japão, encontraram em cavernas desses estados brasileiros quatro espécies do primeiro inseto do mundo cuja fêmea possui um órgão masculino.
De acordo com os cientistas responsáveis pela descoberta, a inversão de papeis sexuais já foi percebida em alguns animais, mas essa é a primeira vez que se descobre uma espécie fêmea com órgão sexual típico de um macho.
O acasalamento do inseto, batizado de Neotrogla, funciona da seguinte maneira: a fêmea insere no macho seu órgão erétil, semelhante a um pênis, para obter esperma comida. O parceiro recebe o órgão em uma abertura semelhante à uma vagina. É como uma penetração mesmo, mas realizada pela fêmea. Dentro do corpo do macho, a membrana do pênis se expande fazendo surgir vários espinhos que mantém os insetos grudados. Não é a toa que o acasalamento dura entre 40 e 70 horas!

neotrogla

A pergunta dos cientistas agora é: por que esse animal tem uma inversão total de papéis sexuais? Eles se arriscam a apostar na evolução natural: a deficiência de recursos no habitat desses insetos pode ter levado a fêmea a matar dois coelhos com uma cajadada só (se procriar e se alimentar). Para se aprofundarem nos estudos, os pesquisadores pretendem cultivar os insetos para produzirem em laboratório uma população mais numerosa e saudável.

Engrenagens: invenções do homem ou da natureza?

As engrenagens são objetos mecânicos de diferentes tamanhos compostos por rodas dentadas que ao serem acionadas imprimem movimento ao eixo ao qual estão conectadas. Essa frase parece trecho de aula de Física, mas o assunto aqui é mesmo pertencente à Biologia.
Quem respondeu ao título desta postagem com a opção “homem”, está enganado. Um artigo recém publicado na revista americana Science aborda a curiosa descoberta de um sistema de engrenagens nas patas de um inseto, o Issus coleoptratus.
Foto: site Update or Die
Apesar do seu tamanho minúsculo, essa espécie de percevejo tem um corpo muito engenhoso. Entre a pata traseira e o corpo, o Issus possui uma engrenagem que servem para dar impulso ao seu salto. O que mais impressionou os cientistas foi a perfeição desse sistema, com um encaixe perfeito e funcional das engrenagens. Veja de forma detalhada na animação abaixo:
Essa importante descoberta mostra que a natureza está muito a frente da humanidade mesmo em invenções que acreditamos serem do homem. E que ela é ainda mais perfeita do que podemos imaginar.
Com informações do site Update or Die.

Descoberta nova espécie de mariposa

Com a ajuda de uma armadilha com luz ultravioleta pesquisadores da Universidade de Ahvaz, no Irã, e do Museu de História Natural da Hungria, descobriram uma nova espécie de mariposa.
Batizada de “Anagnorisma chamrani” em homenagem a um cientista e político iraniano falecido na década de 1980, a descoberta do novo inseto aconteceu em uma região montanhosa do nordeste do Irã.  Foram capturados dois exemplares da mariposa, cuja nova espécie pertence à família Noctuidae, uma das mais numerosas com mais de 20 mil espécies em todo o mundo.
Abaixo você vê a foto da mariposa fêmea.
mariposa_anagnorisma_ chamrani_femea
Com informações do site de notícias G1.
 

Nova espécie de morcego é descoberta na África

Pesquisadores internacionais descobriram no Sudão do Sul uma nova espécie de morcego. Batizado de Niumbaha, o bicho possui listras e manchas parecidas com as de um urso panda. Apesar da semelhança com outra espécie capturada no Congo em 1939, Glauconycteris superba, os cientistas acharam mais conveniente batizar a descoberta com outro nome. “Depois de uma análise cuidadosa, é claro que se conclui que ele não pertence ao gênero. Suas formas cranianas, das asas e seu tamanho, tudo que você olhar, não se encaixa. É tão diferente que é preciso criar um novo gênero”, disse a pesquisadora em reportagem publicada no site de notícias Terra.
A escolha do nome Niumbaha foi proposital. Na língua do povo Azande, onde o morcego foi capturado, a palavra significa “raro” ou “anormal”.

morcego_panda

Cientistas descobrem três novas espécies de baratas na China

Do Globo Natureza, em São Paulo

 
Cientistas descobriram três novas espécies de baratas do gênero Pseudophoraspis na China. Os animais chegam a medir 3 centímetros de comprimento na fase adulta e são alguns dos menores representantes de sua família, segundo os pesquisadores.
s espécies descobertas são aPseudophoraspis clavellata, aPseudophoraspis recurvata e aPseudophoraspis incurvata. Animais do mesmo gênero são encontrados normalmente do sul e no sudeste da Ásia.
O estudo com a descrição das espécies foi publicado na última semana, no periódico científico “ZooKeys”. As espécies foram identificadas nas províncias chinesas de Hainan, Yunnan e Guangxi.
Segundo o pesquisador Zongqing Wang, da Universidade Sudoeste, na China, “o local antes estudado como ‘habitat’ deste tipo de barata era o Vietnã. Mas nós encontramos três novas espécies na China, o que estende o alcance do gênero para o norte [na China]”.

Além dos pequenos animais, foram identificadas três espécies de baratas gigantes na China, da família Blaberidae, mas que já eram anteriormente conhecidas.
As fêmeas da maior espécie conhecida da família Blaberidae é a Blaberus giganteus, que chega a medir 10 centímetros de comprimento, de acordo com os pesquisadores.
“As baratas são insetos formidáveis na sua distribuição e biodiversidade, com mais de 4,5 mil espécies conhecidas e grande alcance geográfico”, afirmou o estudo, que ressaltou que fósseis mais antigos destes insetos datam de cerca de 400 milhões de anos.