Acabar com baratas – descubra tudo que você precisa saber

No ambiente urbano existem vários animais e insetos que vivem nos esgotos e se alimentam de lixo. Muitos deles migram para os nossos lares, trazendo uma série de doenças e causando muitos incômodos. Um dos mais enojados pelas pessoas é a barata, inseto onívoro que se alimenta principalmente de restos alimentares dos humanos (veja, aqui, algumas doenças causadas pelas baratas). Chegou a hora de saber como dedetizar e acabar com baratas de uma vez por todas. 
O bom e velho amigo, o chinelo, às vezes é a solução que mais usamos. Porém as baratas têm uma carapaça dura e resistente que as protege, impedindo que morra facilmente. Além do mais, ao matá-las assim, você pode estar espalhando microorganismos por sua casa. Por isso, o melhor é buscar medidas mais eficazes – tanto para evitar que elas apareçam quanto para dar um fim nelas.
O primeiro passo, antes de tudo, é sempre deixar a casa limpa. Não deixe restos de comida no chão. Se cair um grão que seja, passe uma vassoura ou pano. Troque sempre o lixo da cozinha. Mantenha as embalagens de alimento bem fechadas e limpe sempre os armários. Como dito anteriormente, essas baratinhas gostam de restos de comidas. E isso, é algo que podemos evitar.

Dedetização profissional: a melhor solução para acabar com baratas

Como você sabe, há uma série de produtos no mercado para matar esse tipo de inseto. Todos eles um pouco tóxicos. Por fim, a melhor solução é sempre contratar uma empresa especializada. No caso, uma dedetizadora – especialmente em casos de infestações mais severas. O motivo disso é simples: empresas especializadas já estão acostumadas com esse tipo de situação. Elas sabem como dedetizar baratas e outros insetos, quais produtos utilizar, como e onde combater. Tudo isso, sem colocar a saúde sua, dos seus familiares e dos seus animais de estimação em risco.

Precisa de uma dedetizadora? Pode contar com a Insetan. Faça um orçamento sem compromisso. A gente tem certeza que você vai se surpreender. 

Doenças causadas pelas baratas

A baratas são animais abominados pela maioria das pessoas. São consideradas extremamente nojentas já que andam pelo esgoto e pelas lixeiras e sobre vários tipos de dejetos. As baratas realmente transitam por vários locais contaminados e, por isso, podem trazer toda essa contaminação para dentro de nossa casa. Então, se você tem baratas em casa, a primeira coisa a se fazer é embalar alimentos, guardá-los e vedá-los devidamente, bem como deixar a lixeira muito bem tampada e o mais longe possível do interior da casa.
É sabido que nas patas das baratas existem milhares de micro-organismos que podem transmitir vários tipos de doenças se contaminarem alimentos, objetos e utensílios domésticos. Poucas pessoas sabem, mas as baratas também liberam um cheiro que pode impregnar os alimentos deixando-os com um cheiro ruim. Elas também podem causar prejuízos materiais quando roem roupas e demais tecidos. Algumas das doenças que a barata pode transmitir são: febre tifoide, conjuntivite e pneumonia.
Se você estiver enfrentando um problema de infestação de baratas, procure uma dedetizadora para resolver o problema. É importante que você procure saber se é uma dedetizadora confiável, se conta com uma equipe qualificada, produtos liberados pelo Ministério da Saúde e quais são suas certificações.

Baratas também conversam sobre comida

Uma coisa que a gente sabe: comida é sempre assunto para as pessoas. Uma coisa que a gente não sabe: para as baratas também. Sim, esses insetos também conversam entre si sobre o jantar. Alguns cientistas britânicos partiram da hipótese de que, para encontrarem comida, as baratas fizessem uso de um sistema de comunicação para compartilhar informações. Para tirar a prova, fizeram um teste simples: colocaram dois tipos de comida – parecidas entre si – em recipientes diferentes colocando-as à disposição das baratas. O resultado foi curiosíssimo: todas elas foram juntas para um único vasilhame, só partiram para o segundo uma vez terminado o primeiro.
Os cientistas da Universidade de Londes então concluíram que se não houvesse ali uma articulação comunicativa entre as baratas, elas se espalhariam desordenadamente entre os dois alimentos. O próximo desafio dos pesquisadores é descobrirem como a comunicação é feita.

Barata, uma praga muito antiga

A barata você conhece bem desde muito pequeno. Mas o que você talvez não possa ter imaginado é que essa praga é bem mais antiga. De acordo com a história, esse inseto é pré-histórico. Os sinais mais antigos de uma barata datam de aproximadamente 400 milhões de anos! Pois é, ainda que tenha havido diversas mudanças em sua estrutura anatômica, elas já estão por aí há bastante tempo.

Durante todo esse tempo, além da modificação na genitália, houve também mudança  na colocação de ovos da barata. Eles agora são botados numa ooteca e não de forma individual como era feito a cerca de 60 milhões de anos. As asas também passaram por mudanças não tendo mais como função principal o voo.

Voltando aos dias de hoje: o que fazer quando nos deparamos com uma infestação de baratas num ambiente? Pois bem, o mais indicado é contratar uma empresa de dedetização confiável com equipe técnica qualificada e que utilize produtos licenciados pelo Ministério da Saúde.

Barata na comida

Imagine a situacão: você prepara cuidadosamente um belo sanduíche para o almoço e o guarda na geladeira da firma. Durante uma interminável  manhã de trabalho, tudo o que você pensa é a hora de pegar o lanche na geladeira. Mas quando o relógio marca a fatídica hora, você vai até a geladeira e zás! Nada de sanduíche, um espertinho mais rápido que você levou a melhor, ou melhor, levou seu almoço.

Foi pensando em melhorar a experiência das pessoas que sofrem com furtos de lanches que a indústria lançou o saco plástico com uma imagem de barata estrategicamente posicionada e interagindo com a transparência para parecer que ela caminha diretamente sobre o lanche. A embalagem doméstica serve como uma proteção e a barata, uma espécie de “guarda”que espanta qualquer um que pense em pegar o que não é dele.

6 curiosidades surpreendentes sobre as baratas

Apesar de as baratas serem um dos principais motivos dos pedidos de dedetização, há ainda muito o que descobrir sobre elas. Inclusive alguns fatos que as tornam até mesmo mais interessantes e menos assustadoras.
 

  1. Nem todas as baratas são prejudiciais. Apenas 1% de todas as espécies são consideradas pragas, aproximadamente trinta espécies.

 

  1. O tempo máximo que as baratas podem viver sem água é uma semana. No entanto, elas podem facilmente viver por um longo tempo sem alimentos.

 

  1. Uma barata pode viver até uma semana sem sua cabeça. Isso acontece porque ela não depende diretamente de sua boca ou narinas.

 

  1. A limpeza não vai te salvar das baratas. Estas criaturas são atraídas pela água e por alimentos, e não pela sujeira.

 

  1. As baratas podem comer absolutamente tudo. Elas não desprezam nem a pele de animais mortos, lixo ou fezes.

 

  1. As baratas são rápidas! Elas usam suas 6 pernas para se moverem a uma velocidade de 80 cm/s.

Cinco receitas caseiras (e eficientes) para acabar com as baratas

Elas causam nojo e repulsa na maioria das pessoas e, principalmente no verão, são presença comum em locais onde o clima é mais quente. Você sabe, estamos falando das baratas, insetos perigosos que oferecem riscos à saúde humana, já que carregam microrganismos patogênicos na cutícula, asas, antenas, exoesqueleto e pernas. Como transitam por áreas muito sujas como lixo e esgoto, as baratas carregam bactérias – entre as quais, a Salmonella -, além de fungos, vírus e vermes, todos capazes de causar diarreia e desidratação aos humanos. A contaminação acontece quando esses insetos passam sobre os alimentos e descarregam os micro-organismos. Quando consumidos, os alimentos contaminados podem fazer mal à saúde.
Além dos incômodos digestivos e intestinais, as baratas ainda podem causar alergias, como rinites e crises de asma, pois pedaços minúsculos do corpo podem se misturar à poeira e serem inalados por pessoas sensíveis.
Para combatê-las o mais indicado ainda é uma dedetização profissional. Mas, além de gritar e dar chineladas na direção do inseto, você pode apelar para algumas receitinhas caseiras bem eficientes contra as baratas. Anote aí e coloque em prática o mais rápido possível. As dicas são do site Macaco Velho:
Folha de louro
Espalhe folhas de louro nos lugares onde elas aparecem – nos armários da cozinha, por exemplo. O cheiro dessa folha irá repelir os insetos. Como elas adoram locais escuros, úmidos e quentinhos, o fogão é outro lugar perfeito para seu esconderijo. Coloque folhas de louro por lá também!
Eucalipto e alecrim
O cheiro forte dessas duas substâncias também é uma ótima forma de afastar as baratas dos cômodos da sua casa. Prepare uma solução de eucalipto com alecrim e umedeça o pano para passar no chão. Essa é uma dica do tempo das vovós, da época em que inseticida não era comum!
Solução de água e sabão
Se você é daqueles que não gosta de usar inseticida em spray, uma saída é usar uma mistura de água com sabão (pode ser detergente também). Tem que colocar sabão suficiente para deixar a água “escorregadia”. Daí é só jogar em cima da dita cuja quando ela aparecer. O sabão entope os poros das baratas e as impede de respirar. É morte na certa!
Álcool em gel
Outra maneira de matar barata sem sujar seu chinelo e a sua casa, nem usar inseticida, é jogar álcool em gel em cima delas!
Bicarbonato
Misture açúcar com bicarbonato em potinhos e espalhe pelos cantos da casa. O açúcar vai atrair a bichana e, ao consumir a isca, ela será envenenada pelo bicarbonato.
Vale lembrar que as baratas preferem lugares sujos e úmidos. Portanto, nada de deixar louça na pia e sujeiras acumuladas pelos cantos da casa! Quanto mais limpo o ambiente, melhor.
Fonte: Bonde

Saiba como eram as baratas há 300 milhões de anos

Cientistas descobriram um fóssil de barata com quase 300 milhões de anos em Mafra, Santa Catarina, que pode ajudar a compreender qual o papel que o inseto ainda tem na natureza. O exemplar é o mais completo da Era Paleozoica (entre 542 milhões de anos e 245 milhões de anos atrás) já visto na América do Sul.
O grupo de pesquisadores – três brasileiros e um alemão – encontrou dezoito fósseis da espécie Anthracoblattina mendesi nos últimos 20 anos – um deles revela de maneira inédita todo o corpo do ancestral barata. O estudo que descreve os exemplares foi publicado na edição atual da Revista Brasileira de Paleontologia.

Barata pré-histórica

De acordo com o estudo, as antigas baratas voavam perto de regiões com água. Assim, elas eventualmente afundavam na lama e deixavam marcas. Esses “rabiscos” foram preservados pela matéria orgânica acumulada transformada em rocha após milhões de anos. Eles descrevem como eram as antenas, patas, asas e outras partes do corpo do animal.
Usando técnicas de fotografia microscópia para analisar os exemplares, os cientistas descobriram que a espécie era uma excelente corredora (o que os cientistas chamam de “espécies cursoriais”), exatamente como as baratas atuais. Ela media de 5 a 7 centímetros de comprimento, tinha grandes olhos e mandíbulas largas e avantajadas.
“Os primeiros animais vertebrados voadores só surgiram milhões de anos depois, no Período Triássico da Era Mesozóica, há cerca de 250 milhões de anos. Em geral, estas baratas da Era Paleozoica eram basicamente iguais às atuais – mas ainda não sabemos por que ou como evoluíram tão rapidamente”, disse o antropólogo João Ricetti, da Universidade do Contestado (UnC), em nota oficial.
Segundo a equipe de cientistas, o estudo reconstrói não apenas a morfologia desses animais, mas de todo o ambiente do Paleozoico. Com o apoio de descobertas de outros insetos, em diversas partes do mundo, os pesquisadores poderão revelar, por fim, qual a função que o animal tinha e ainda tem na natureza.
Fonte: Veja

As cidades estão impregnadas de escorpião, um comedor de baratas

O escorpião é um animal temido pela maioria das pessoas. Aqui no Brasil, a espécie mais comum é a Tityus serrulatus, conhecida como escorpião-amarelo, típico das regiões sudeste e centro-oeste do Brasil. Ele costuma provocar acidentes graves, sobretudo, em crianças.
Os cuidados que devem ser tomados em relação à espécie se deve pela sua proliferação nas cidades brasileiras. Os escorpiões são atraídos por baratas, que lhe servem de alimento.

Para alertar acerca dos perigos do escorpião, o biólogo da Diretoria de Vigilância Ambiental (Dival) da Secretaria de Saúde do DF, Israel Martins, deu uma entrevista, disponível na Rádio EBC, para explicar como o escorpião, e também os mosquitos, aproveitam-se de ambientes favoráveis encontrados em domicílios e comércios para se desenvolver.

Por que as cidades estão sendo invadidas por escorpiões?

Como no ambiente urbano não há um predador natural de escorpiões, eles se proliferam com facilidade. No verão, com a ocorrência maior de chuvas, as galerias de águas pluviais se enchem fazendo com que esses animais procurem outros lugares para se abrigar.
O escorpião é muito bem adaptado a viver no subterrâneo das cidades, onde também estão as baratas. Quando buscam um abrigo provisório, eles sobem pelas tubulações e podem se esconder dentro de nossas casas.
 

Inseticidas não são a solução

O biólogo chama atenção para a desinsetização, uma vez que não há evidências científicas de que o inseticida para o escorpião seja eficaz no ambiente urbano. O recomendado é criar barreiras físicas na nossa casa, como: colocar telas nos ralos; rodo de vedação nas portas; protetor em tomadas, se tiver algumas tomada danificada, para eliminar frestas, uma possível saída do escorpião.

O quintal também deve ser cuidado, evitando-se entulhos e mantendo-o limpo, de forma que não seja usado como depósito de materiais de construção, por exemplo. A limpeza da casa previne o aparecimento das baratas, alimento do escorpião.
Os inseticidas pulverizados podem ser perigosos, pois afastam os escorpiões fazendo com que eles se escondam em frestas.

O que fazer em casos de picada de escorpião?

Em caso de acidentes, a pessoa que for picada deve buscar imediatamente atendimento médico. Quanto antes a pessoa for atendida, mais chances terá de se recuperar da picada.
 

Não mate o animal

Se você encontrar um escorpião em casa, isole o animal de forma segura, evitando que ele se esconda em alguma fresta, e comunique a vigilância sanitária, para que o órgão possa tomar as medidas cabíveis.
O poder público é responsável por inspecionar os lugares onde a população encontra escorpiões e por investigar as razões de a localidade estar infestada pelo animal.
Fonte: GreenMe

Aumentam as pragas, aumentam também as doenças

As pragas urbanas como ratos, mosquitos, baratas, cupins, escorpiões, carrapatos, formigas e outros bichos aparecem sempre em maior incidência nos períodos mais quentes.

Esse grande incômodo acontece em lugares com facilidade de acesso a comida, água e proteção para as pragas. E o que deve ser dito a respeito dessas pragas é que, além causarem desconforto e prejuízos materiais em casa ou no trabalho, são também vetores de várias doenças perigosas para nossa saúde e a de nossa família.
O aumento da proliferação também está relacionado com o ciclo de vida dos animais. Eles não conseguem manter a temperatura do corpo deixando as atividades de busca por alimento e reprodução para o calor. As baratas e formigas são um exemplo disso. Mas tudo isso não livra de culpa o ser humano. O desequilíbrio do meio ambiente desencadeado pela ação degradante das pessoas causa uma defasagem nas necessidades de toda a cadeia.
O problema da proliferação de pragas é uma questão séria nos meios urbanos, mas ainda assim, há cuidados que podemos ter para evitar maiores problemas tais como manter as lixeiras sempre bem vedadas, manter terreiros limpos, guardar alimentos devidamente e, o mais importante, contratar uma empresa confiável e qualificada para manter dedetização da sua casa ou empresa em dia.