Crianças que vivem em casas com baratas têm mais asma

Crianças que vivem em casas com baratas têm mais asma

Uma pesquisa feita com 172 domicílios, em Recife, mostrou que 79 crianças estavam expostas a baratas. Nesse grupo, 32% tinham asma. Enquanto no grupo de 93 crianças que moravam em casas que não possuíam baratas, apenas 12% tinham asma.

Essa análise feita pela Universidade Federal de Pernambuco mostrou que as baratas podem, sim, aumentar o risco de asma em crianças: chegam a ser três vezes maior do que as residências que não possuem a praga urbana.

“No caso das baratas, são os fragmentos da sua superfície dispersos no ar que causam a alergia. Assim como há pessoas sensíveis a ácaros, há alérgicos a barata“, disse Roberto Stirbulov, presidente da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT).

Mas é preciso eliminar por completo as baratas, porque mesmo mortas podem causar alergia. Quando mortas, partículas do exoesqueleto se decompõem e ficam no ar. Mesmo quem não tem predisposição à asma pode contrair outras alergias.