As pragas no verão

Quando pensamos em verão, calor, praia e sol vêm a nossa cabeça o tão sonhado período de férias. Mas, costumamos esquecer de uma coisa que pode atrapalhar nossos planos de tranquilidade: as pragas urbanas.  

O calor e as fortes chuvas dessa época são um prato cheio para as diferentes espécies de insetos, em especial os mosquitos. Durante esse período onde observa-se chuva e sol, há um grande acúmulo de água em recipientes, que funcionam como ninhos reprodutores para essa praga.

Outro fator que torna os insetos mais comuns durante o verão é a temperatura corporal. Nesse período os insetos costumam ter seu metabolismo acelerado graças a alta temperatura  com isso ficam mais ativos para buscar alimentos, abrigos e se reproduzirem.
 
Esses motivos fazem com que formigas, pernilongos, baratas e mosquitos se proliferam por todas as partes, exigindo que tenhamos cuidado, em especial com baratas e formigas os quais transitam por locais sujos, de lixeiras a tubulações de esgoto com isso carregam consigo bactérias e vírus prejudiciais à saúde humana e animal.
 
Alguns cuidados podem ser tomados para evitar essas pragas, como deixar o ambiente sempre higienizado, evitar acúmulo de lixo e entulhos e manter caixas d’água e fossas sempre tampadas. No entanto, esses são apenas cuidados básicos e somente eles não são suficientes para garantir um verão tranquilo.
 
O mais correto é contratar uma empresa especializada em dedetização, como a Insetan, capaz de oferecer  serviços de qualidade e de garantia. Sem insetos, o verão fica muito mais divertido!

Curiosidades sobre roedores

Os roedores costumam ser bastante comuns no ambiente urbano e, vez ou outra, dão as caras dentro das casas. Existem três principais espécies que são consideradas pragas urbanas: ratazanas, ratos de telhado e os camundongos.

Entender sobre os roedores ajuda a conhecê-los melhor e, assim, saber como evitá-los. Por isso, preparamos uma lista com doze curiosidades a respeito desses bichos.

1- Os roedores são mamíferos e há cerca de 2000 espécies pelo mundo.

2- Os roedores têm uma capacidade de proliferação muito rápida e alta. As fêmeas da ratazana, por exemplo, conseguem dar à luz cerca de 100 filhotes por ano.

3- O corpo desses animais é muito flexível, o que os permite se mover facilmente por dentro de canos e tubulações.

4- Eles têm facilidade para segurar a respiração dentro d’água, o que facilita a entrada nas casas pelos esgotos e vasos sanitários.

5- Os ratos possuem os sentidos muito bem aguçados, conseguem se localizar, aprender novos caminhos e criar atalhos com facilidade.

6- São capazes de cavar tocas nos solos, atingindo mais de 1 metro de profundidade

7- Por conta da flexibilidade, essas pragas urbanas também conseguem caminhar por estruturas horizontais, como canos.

8- Eles conseguem roer vários materiais, como madeiras, tijolos, alumínio, etc.

9- Os roedores transmitem  doenças como leptospirose, peste bubônica e salmonelose

10- Outra doença pouco conhecida é a hantavirose, também transmitida por essa classe de animais. A hantavirose gera síndromes pulmonares e renais, febres hemorrágicas e pode até levar à morte.

11- Apesar de alguns serem perigosos para a espécie humana, os roedores são importantes para a manutenção do ciclo de vida biológico, já que funcionam como alimento para diversos predadores.

12- Além de ratos, ratazanas e camundongos, outros animais tidos como roedores são: capivaras, esquilos e porquinhos-da-índia.

Dedetização é perigoso para grávidas e crianças?

Ninguém gosta de ter que conviver com ratos, baratas, formigas, aranhas, carrapatos, pulgas e outras pragas. No entanto, na hora de contratar serviços de dedetização, surgem diversas dúvidas sobre como o procedimento e os produtos irão afetar os moradores ou frequentadores da casa ou empresa. Essas dúvidas e preocupações são redobradas sobretudo quando no local há grávidas e crianças. E para sanar de vez a maior dúvida de todos vamos logo dizendo: enquanto há dedetização líquida em curso, nada de grávidas, idosos e crianças em casa.
Quando há necessidade de dedetizar o ambiente com produtos líquidos, deve-se levar bastante a sério a recomendação para que este grupo de pessoas fique fora por um período de 24h depois de terminado o procedimento. É seguindo essa regra que podemos assegurar que problemas decorrentes do contato com os produtos sejam evitados ao máximo. É recomendado que a dedetizadora seja contratada antes do nascimento da criança já que, com a chegada de um recém-nascido, tudo pode se complicar.
Importante também é lembrar que deve-se manter a casa ventilada para o ambiente poder se restabelecer e amenizar o cheiro, melhorando a respiração. Como também deve-se deixar claro que a melhor forma de garantir a segurança total na dedetização, seja para gestantes ou não, é escolhendo uma dedetizadora confiável que conte com uma equipe altamente qualificada e utilize produtos licenciados pelo Ministério da Saúde.

Dedetizar ou Detetizar?

Dedetização ou detetização, qual o correto? Esta é uma dúvida que assola os falantes do português há muito tempo. Por serem parônimas, as duas palavras têm mesmo o poder de confundir, principalmente na hora de escrever. Pensando nisso, nós viemos tentar esclarecer qual é afinal a diferença entre dedetizar e detetizar.
Quando nós estamos falando da aplicação de inseticidas, o Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa considera que o correto é DEDETIZAR. Este verbo vem do substantivo DEDETIZAR e é uma variação dos termos Dicloro Difenil Tricloretano, o DDT, pesticida largamente usado contra pragas urbanas no período da Segunda Guerra Mundial.
A medida que o tempo foi passando, a palavra dedetização começou a ser usada para designar uma gama enorme de substâncias similares, sendo compreendido como um nome guarda-chuva. Mesmo o uso do DDT sendo proibido no Brasil, o termo dedetização é usado de forma geral quando falamos em pragas urbanas e seu combate e prevenção.
Se você estiver enfrentando um problema de infestação, procure uma dedetizadora para resolver o problema. Mas também não se esqueça que escolher fazer uma dedetização preventiva no inverno pode evitar problemas maiores com pragas urbanas. É importante que você procure saber se é uma dedetizadora confiável, se conta com uma equipe qualificada, produtos liberados pelo Ministério da Saúde e se possui certificações.

Cuidado com os cupins

Existem quase 3.000 espécies de cupins descritas no mundo. Eles têm um papel importante no ecossistema já que comem detritos vegetais e conseguem revitalizar madeiras mortas. Mas se tornam um grande problema quando se estabelecem no meio urbano causando enormes prejuízos materiais. Os cupins podem destruir móveis, objetos, forros e há casos em que o problema é tão sério que essas pragas conseguem comprometer a estrutura inteira de uma casa. Quando é detectada uma infestação na residência ou empresa, o ideal é contratar uma empresa de dedetização.
Antes de tudo, deve-se encontrar uma dedetizadora confiável com equipe altamente especializada, que utilize produtos devidamente registrados e atestados pelo Ministério da Saúde. Primeiramente, o profissional irá fazer uma inspeção inicial no local para avaliar a intensidade da infestação e identificar a espécie, uma vez que há um tipo específico de inseticida e uma técnica específica para cada uma delas.
Quatro formas de saber se há alguma infestação são: observar se há asas próximo a objetos de madeira, se também há pó pelo local, se também há a presença de túneis de terra pelas paredes e mobiliários e também se a estrutura de alguma madeira estiver fragilizada, quebrando com facilidade.

Como a chuva influencia na disseminação da dengue?

Com a chegada da primavera e, junto dela, o período chuvoso, aumentam significativamente os locais favoráveis para o desenvolvimento de criadouros do mosquito Aedes aegypti por todo o país. Com as inundações e a formação de poças, as residências, as empresas, principalmente os terrenos baldios, tornam-se ambientes bastante propícios para a formação de focos. Além do vírus da dengue, o mosquito também é vetor dos vírus zika e febre chikungunya.
Além das chuvas, o que também favorece a proliferação do mosquito é o aumento da temperatura, uma vez que eles são sensíveis às mudanças desta. Com mais água para fazer criadouros somado a um aumento de temperatura, esse animal vê seu desenvolvimento – do ovo à idade adulta – significamente acelerado. O mosquito leva de sete a dez dias para se tornar adulto e o melhor modo de eliminá-lo é interromper seu ciclo de desenvolvimento.
Outra coisa muito importante de ser lembrada é o cuidado que devemos ter em nossos ambientes de convívio. É fundamental que eliminemos qualquer foco de água parada, suja ou limpa. Coloque areia nos pratinhos das plantas, não deixe lixo destampado ou entulhos que podem acumular água da chuva. Limpe também calhas e recolha pneus que possam estar armazenados de forma inadequada.

O perigo da aranha marrom

As aranhas formam um enorme grupo de aracnídeos no mundo animal. Atualmente, existem aproximadamente 35000 espécies de aranhas. A maioria das espécies são inofensivas, uma vez que possuem toxinas inofensivas ao ser humano. Mas isso não significa que acidentes graves envolvendo esses animais não ocorram. Algumas espécies, como a aranha marrom, podem causar danos à saúde de quem levar uma picada.
Em geral, a aranha marrom vive em vários tipos de locais como pedras, tijolos, frestas de portas e janelas, rodapés, no meio da grama e até nas cascas das árvores. Uma vez dentro da residência, a aranha encontra algum lugar escuro e seco como porões, forros, armário, estante de livros, caixas de papelão ou sótãos e encontram ali um habitat. Essas aranhas não costumam ser agressivas, mas podem, numa picada, disseminar no corpo da vítima uma toxina bastante perigosa e debilitante. Sua picada é quase indolor e só apresenta sintomas de 12 a 24 horas depois. Entre os sinais estão: inchaço, bolhas dor e necrose.
É importante ressaltar que a melhor forma de prevenir acidentes com a aranha marrom é lançar mão do controle químico feito por profissionais. Procure uma dedetizadora de confiança para ajudar você a lidar com essa ameaça.

As moscas e como se livrar delas

Com a instabilidade do clima e chuvas eventuais, as moscas começam a aparecer nas residências. E, mais que o incômodo e o nojo que elas provocam, devemos nos preocupar com o perigo que elas representam para a nossa saúde. São essas pragas urbanas relacionadas a doenças graves como a cólera e também à transmissão de verminoses como desinteria e salmonelose e parasitas de diversas ordens que podem acometer tanto as pessoas como os animais. As moscas são comuns em vários tipos de ambiente e, com o tempo, acabaram se adaptando ao meio urbano.
As moscas se alimentam de diversos tipos de matéria orgânica, inclusive em decomposição. Elas podem consumir lixo, fezes, restos de comida, excrementos de vários tipos, escarros, açúcares, frutas e alimentos podres em geral. Isso é um fato que coloca nossa saúde em risco, pois uma vez que, por exemplo, uma mosca pousa em fezes e lixo e depois em nosso alimento ou água, ela pode contaminá-las. Nos locais visitados pelas moscas podem restar uma minúscula mancha escura indicando suas fezes, ou uma minúscula mancha clara indicando que ela lançou ali sua saliva.
Elas são muito ativas durante o dia e o controle não é muito fácil exigindo às vezes estratégias diferentes para cada espécie. Para controlar as moscas em sua casa, você pode implementar ações simples como não deixar alimentos expostos, cobrir bem as lixeiras, sempre recolher as fezes dos pets e colocar telas nas janelas. Mas para um controle de pragas completo e realmente eficaz, contrate uma dedetizadora confiável com profissionais qualificados.

Insetos no frio – eles continuam por aí

É comum, quando chegam as épocas mais frias, observarmos que as pragas costumam sumir de nossa vista. E, levados pelas aparências, acreditamos que nossos problemas com elas chegaram no fim. Mas o que realmente acontece neste período é que os insetos realmente ficam mais isolados, seu metabolismo diminui e vemos uma diminuição de suas atividades. É justamente isso que causa a impressão de que eles nos deixaram. Para os insetos maiores, o frio é bem mais suportável, por isso, no inverno eles entram numa espécie de hibernação.
Esses insetos ficam alojados até que as temperaturas voltem a subir e, assim, as atividades de seu metabolismo. Com a volta das atividades, eles estão aptos inclusive para procurar alimento e abrigo dentro de nossas casas. Os insetos menores, por não terem um corpo tão forte, acabam não aguentando as baixas temperaturas e parte deles morrem. No entanto, devemos ficar atentos ao fato de que seus ovos e larvas continuam vivos, preparando para surgirem totalmente formados na primavera.
Por isso, não descarte a possibilidade de contratar uma dedetizadora quando as temperaturas estão mais baixas. Na verdade, esta prática é até mesmo uma boa estratégia para garantir uma primavera e um verão livres de infestações, uma vez que a dedetização no inverno funciona como uma ótima ação preventiva.

Grandes mentiras sobre dedetização

Antes de contratarmos uma empresa de dedetização pela primeira vez, surgem muitas dúvidas. E, às vezes, recorremos à internet ou a opinião dos outros sobre o assunto. E é assim que acabamos entrando em contato com muitas informações deturpadas sobre os serviços de dedetização e sobre as dedetizadoras. E é por isso que decidimos esclarecer 4 mitos sobre o controle de pragas para ajudar você a fazer as escolhas certas na hora de acabar com alguma infestação.

1- Produto para dedetização bom é aquele que tem cheiro forte.

As pessoas costumam associar a intensidade do cheiro de um inseticida à sua eficácia. No entanto, isso não passa de informação falsa. Com o avanço da tecnologia química, a maioria dos sprays atuais não exalam um odor muito forte e isso não significa que não são potentes. Pelo contrário, hoje é possível dizer que o cheiro dos produtos nada tem a ver com sua qualidade.

2- Se eu não vejo nenhuma praga em minha casa é porque não há infestação.

Este é um erro bastante comum. Muitas pessoas pensam não ter problemas com pragas quando não as veem dentro de casa. Os insetos, roedores e aracnídeos que habitam sua casa podem aparecer somente à noite ou estarem alojadas em cantos muito escondidos. A melhor forma de saber se sua casa está realmente infestada é contratando a avaliação de especialistas. Procure uma dedetizadora.

3- Posso combater uma séria infestação sem ajuda, só com receitas caseiras.

O controle de pragas é uma técnica profissional séria para combater infestações de animais que podem trazer sérios prejuízos ao ambiente e à saúde de quem nele vive. Embora existam muitas receitas caseiras indicadas para acabar com ratos, baratas, formigas e outros bichos, são os profissionais devidamente treinados que, além de conhecerem todas as peculiaridades das mais varias espécies, que vão saber lidar com seu controle.

4- Posso contratar qualquer dedetizadora

Quando chegar a hora de contratar uma empresa de dedetização, cheque como é feito o seu trabalho. Verifique se possui certificações e se utilizam produtos licenciados pelo Ministério da Saúde. Somente uma empresa confiável com uma equipe altamente qualificada pode fazer um serviço de controle de pragas realmente eficaz.