Rato vence briga e mata gato no sul de Goiás

Rato vence briga e mata gato no sul de Goiás

Essa história é de fazer inveja em qualquer rato, até mesmo naquele camundongo espertinho do desenho animado que sempre se livra das armadilhas do gato.

Mais que colocar em cheque a rivalidade secular entre esses dois animais e inverter uma ordem da cadeia alimentar, este rato conseguiu parar a cidade goiana de Paranaiguara, na divisa com o Pontal do Triângulo Mineiro.

A história “chegou na boca do povo” e, em pouco tempo, era comentada por todo mundo em todos os lugares. Nas escolas, nos escritórios, nos botequins, e claro, na pequena praça da cidade.

E o assunto realmente não poderia ser outro: rato que tinha devorado gato. “Só faltou mesmo o padre do luarejo citar o fato no seu sermão”, reportou o Notícias Populares (NP), do dia 27 de Novembro de 1975.

Em uma época em que não existiam as redes sociais, o  jornal foi um dos responsáveis pela proliferação da história. Naquele dia, a capa do diário estampava a história do super rato. “Rivalidade secular vai por água abaixo. Rato engoliu gato na briga”, gritava a manchete. Em março de 2015, o site “Saiu no NP”, lembrou o fato que espantou o sul goiano há 40 anos.

Tudo começou debaixo de um abacateiro em uma manhã ensolarada na Fazenda São José. Na propriedade viviam, de acordo com o jornal, o casal Sebastião de Oliveira, Maria Lourdes Pereira e seus oito filhos. Naquele dia, os dois tratavam alguns pés de mandioca, quando um dos filhos chamou a atenção de todos para olharem para o que acontecia sob a árvore.

  • “Olhem lá debaixo do abacateiro”, gritou.

Foi quando a família se deparou com o inusitado, uma enorme ratazana ameaçava atacar o gato da casa, chamado de “Malhado”.

De acordo com aquela edição do Notícias Populares, “tanto o homem, quanto a mulher, acharam a cena até engraçada.” Assistiram de camarote a confusão que estava prestes a começar.

De um lado o gato, certo de sua vitória, afinal de contas, ele é o gato. Unhas bem afiadas e pelos atiçados. De outro, o rato, que também não estava disposto a perder a briga. Ao redor daquele octógono campestre, toda a família, na expectativa.

“‘Malhado’ tenta com suas afiadas garras o primeiro golpe, mas o rato salta e o morde no pescoço, que começa a sangrar”. Neste instante, as crianças arregalam os olhos em um misto de surpresa e medo.

Instante após, o rato volta a morder violentamente o gato, até deixá-lo numa poça de sangue, sem vida”, contou o NP.

Uma vez que nada mais poderia ser feito para salvar o Malhado, a família volta a seus afazeres, ainda meio perplexos e condoídos com o acontecido. Mal sabiam eles que a morte do gato não seria o fim da trágica história.

Na hora do almoço, o casal volta a acompanhar uma movimentação sob o abacateiro. Ao chegarem mais perto, puderam ver que o mesmo rato havia voltado e estava devorando o gato. “Apenas a ossada ficou à mostra. Depois vieram outros e arrastaram o bicho para o mato, desaparecendo com ele”, contou o Notícias Populares da época.

Depois de espalhada a trágica história, curiosos chegaram a visitar a Fazenda “São José” em busca dos restos do gato, mas nunca conseguiram encontrar.

Com informações de Saiu no NP

Deixe seu comentário

- 2 = 1