Pragas do verão: Proliferação de pulgas aumenta no verão

Pragas do verão: Proliferação de pulgas aumenta no verão

Somente quem já sofreu com infestações de pulgas em casa pode dizer o quanto é incômodo e trabalhoso se livrar delas. Estes parasitas externos (ou hectoparasitas), atacam nossos animais de estimação facilmente. Ao se alimentarem do sangue de seu hospedeiro, podem causar coceira, alergias, feridas, queda de pelos nos animais e podem até transmitir doenças.

No período de um mês, dez pulgas depositam mais de 15 mil ovos no ambiente, sendo que, no período entre oito e dez dias, as pupas (casulos) eclodem e as pulgas jovens saem à procura de alimento, no caso, os seres que servem de hospedeiros para o parasita, dentre eles: animais domésticos e o próprio ser humano.

Elas estão presentes no ambiente em todas as épocas do ano, mas no verão, por causa do calor, pulgas e carrapatos aceleram seus ciclos. Desta maneira, conseguem se desenvolver com numa velocidade maior. São duas que podem matar o animal: babebiose e erliquiose. A primeira, causada por um protozoário, segundo explica o médico veterinário Nardeli Lucena a um blog 4 patas, do Jornal Pioneiro, “infecta e destrói os glóbulos vermelhos dos cães e pode causar febre, anemia e sangramentos. A segunda é causada por uma bactéria e ataca as células de defesa do animal e causa febre, perda de peso, falta de apetite, vômitos e sangramentos. Mas é bom lembrar que não são todos os carrapatos que transmitem doenças, são só os doentes. Só é possível detectar se o animal foi infectado com exames clínicos”, explica o veterinário.

__________

Leia mais no Blog da Insetan:

 

 

 

 

__________

A melhor alternativa para assegurar a saúde dos animais e a sua é a prevenção. O ideal é procurar orientação profissional para que o produto mais indicado para o controle de pulgas seja aplicado. Muitos medicamentos vendidos em lojas agroveterinárias podem ser tóxicos para filhotes ou não devem ser usados em fêmeas gestantes.

Em caso de infestações, o mais indicado é a realização do tratamento no ambiente e nos animais no mesmo dia. Isso porque pulgas e carrapatos podem se alocar em frestas dos pisos e em outros locais do ambiente. Desta forma, a realização de apenas um dos processos sugeridos não apresenta a eficácia esperada.

Deixe seu comentário

+ 80 = 85