Pragas do Verão: Barata

Pragas do Verão: Barata

As baratas estão entre nós há milhões de anos e não planejam nos deixar tão cedo. Mais antigas que os dinossauros, elas conseguiram sobreviver ao período que dizimou estes gigantes e, mesmo hoje, ainda resistem a alguns dos inseticidas mais modernos.

Segundo o Engenheiro Agrônomo e Analista Técnico da Insetan, Dhiego Freitas Rocha, as baratas são insetos de hábitos noturnos. “Baratas não se sentem seguras na presença de luz e, por isso só costumam sair de suas tocas durante a noite, quando procuram alimento e parceiros para a reprodução”, explica. Para cada barata que sai do esconderijo, existem outras dezenas escondidas, conta o analista técnico. De acordo com Dhiego, ver uma barata durante o dia é pior ainda. “Quando chega ao ponto de vermos uma barata andando pela casa nesse horário, quer dizer que existe uma superpopulação grande competindo por alimento e água”, conta.

Estes insetos não são exigentes em relação à sua dieta e comem praticamente de tudo. Adoram doces, alimentos gordurosos e de origem animal – como carne, leite e queijo. Qualquer resto de comida é o suficiente para alimentá-los e, se não encontrarem comida, são capazes de ficar até três dias sem comer.

– Como elas chegam até nós?

A presença de baratas, quase sempre, indica um local sujo. Como produzimos cada vez mais sujeira, elas simplesmente não resistem e fazem um ninho perto da gente. A melhor maneira de evitar esses insetos é manter a casa bem limpa. Por isso, é recomendado deixar o banheiro sempre limpo e, principalmente na cozinha, lave a louça logo após a refeição e não deixe restos de comida ou sujeira espalhados. Mantenha o lixo armazenado em recipientes com tampa. “Assim, é bem provável que as baratas procurem um local mais sujo”, sugere Dhiego.

Se ainda assim elas persistirem em dividir a residência com você, é necessário procurar ajuda profissional. A utilização de produtos químicos deve ser realizada com cautela já que o uso indiscriminado destes pode funcionar no combate aos insetos apenas por algum tempo. Mas as baratas podem voltar e, se o uso incorreto de inseticidas continuar, no futuro, pode surgir baratas tolerantes que não vão morrer quando atacadas com esses venenos.

As baratas são muito preguiçosas e passam 75% do seu tempo paradas sem fazer nada. Se não encontrarem comida nas poucas horas em que resolvem se mexer, não há problema. Elas conseguem ficar dias sem comer ou beber água.

Dentre as mais de 4 mil espécies de baratas que existem atualmente, menos de 40 vivem perto do ser humano. Delas, as mais próximas de nós estão a barata-americana ou barata cascuda ou de esgoto (Periplaneta americana), famosa por assustar todo mundo quando entram voando pela janela e, por isso, são conhecidas por “barata voadora”. Uma curiosidade é que, apesar de ser chamada de americana, essa espécie, que tem cerca de 4 centímetros, veio da África em navios e se espalhou por nosso continente.

Do mesmo jeito é a pequena barata-germânica ou baratinha (Blatella germanica), que tem apenas 1,5cm e, mesmo que tenha o nome de germânica, é mais conhecida por francesinha, porém teve sua origem na Ásia e se espalhou pelo mundo pegando carona em navios. Hoje é a barata mais comum no planeta e a mais difícil de se combater por causa do tamanho que a possibilita esconder em espaços bem pequenos.

 

Deixe seu comentário

4 + 2 =