Os ratos merecem toda a má fama que têm?

Os ratos merecem toda a má fama que têm?

Os ratos estão presentes em todas as grandes cidades, e a maioria das pessoas os odeiam. A simples menção ao animal, pode gerar muitas conotações negativas. Mas será que eles realmente merecem essa má fama?

Muita gente não sabe, mas os ratos são extremamente sociáveis e adoram ter a companhia de outros ratos. Pesquisas mostram que quando estão sozinhos eles tendem a ser tristes e depressivos. E mais: os ratos domésticos, aqueles que podem ser adquiridos em lojas de animais, adoram estar próximos aos seres humanos.

Apesar de serem asquerosos para muitas pessoas, esses roedores são animais extremamente limpos e gastam mais tempo se higienizando e penteando seu pelo com as patas do que um gato, por exemplo.

Outra característica bastante peculiar deles é a memória. Dificilmente um rato vai esquecer a rota que o leva a algum lugar em que ele já esteve, principalmente se ele encontrou comida por lá. Além disso, eles são muito curiosos, e timidos.

Mesmo que muita gente possa os achar “fofinhos”, não é nada recomendado ter contato com animais desconhecidos. Eles podem transmitir doenças, como a leptospirose e a hantavirose além de ser hospedeiro da taxoplasmose.

Nossa dívida com os ratos

Mesmo tendo contribuído para a quase destruição da humanidade, com a transmissão de doenças como a Peste Negra, que matou mais de 70 milhões de pessoas durante a Idade Media, o ser humano deve muito aos ratos. A maior parte das vacinas, medicamentos e outras experiências que são feitas em benefício da humanidade foram testados neles antes de serem comercializados.

Porque os ratos gostam tanto das cidades?

A maioria dos animais vivem na natureza, nos campos, em árvores, etc. Com os ratos, não poderia ser diferente. No entanto eles “adotaram” as cidades para viverem e sabe de quem é a culpa? Do ser humano, claro. Preparamos nas cidades o habitat perfeito para estes roedores. As cidades são cheias de buracos e galerias subterrâneas aconchegantes e que geralmente estão cheios de restos comida, perfeitos, para que eles formem seus bandos e que vivam com proteção e conforto. A este fenômeno damos o nome de sinantropia, quando um animal indesejável aprende a viver próximo aos seres humanos devido a disponibilidade de abrigo e alimento. Outros animais sinantrópicos são os pombos, os mosquitos e as baratas, por exemplo.

Difícil de Matar!

Os ratos comem de tudo e nós sabemos disso. Uma análise revelou que dentro do estômago de um rato de menos de 10 cm, existiam mais de 4 mil tipos de comida. Houve uma época, em que matar ratos era uma tarefa fácil, bastava colocar veneno em qualquer tipo de comida, que eles viriam até a isca. De acordo com a bióloga Viviane Alves de Avelar, alguns ratos aprenderam que sempre que alguém da colônia ingeria um determinado alimento, ele morria e através desta inferência, passaram a evitar alguns tipos de alimentos. “Eles são animais que conseguem metabolizar diferentes classes alimentícias, mas possuem preferências, por isso há complicadores quando ofertamos algum tipo de isca que não há palatabilidade tão aguçada”, explica.

Sendo assim, tentar matar ratos sem a ajuda profissional pode não ser tão fácil ou definitivamente, não funcionar e vai pode ainda fazer com que os roedores fiquem cada dia mais difíceis de serem exterminados.

 

Deixe seu comentário

91 - 88 =