DEDETIZAÇÃO EM CASA COM CRIANÇAS

DEDETIZAÇÃO EM CASA COM CRIANÇAS

Quem nunca teve problema com alguma praga urbana em casa? E quando temos crianças em casa o problema aumenta, já que alguns produtos usados no controle podem ser tóxicos. Veja algumas dicas

 

Em uma residência tomada pelas pragas, há que se convir: os moradores da casa são meros coadjuvantes, que só têm dor de cabeça tentando vencer uma guerra, muitas vezes, injusta.

Nesta casa, todos sofrem com insetos e até roedores que vivem zanzando por todos os cômodos. Na cozinha são as formigas. Várias tentativas paliativas para que elas não encontrem o bolo, que está escondido no microondas. O pote de açúcar, guardado dentro da geladeira, deve ser manuseado com extremo cuidado para não cair nada no chão. Qualquer sinal de doce pode ser um chamativo para elas.

E tem mais: comer na sala, nem pensar. “Já não basta a cozinha?” diz a mãe da família aos filhos. Mal ela sabe que todo o resto da casa já está tomado.

A despensa também já foi entregue aos insetos. São dezenas, centenas ou até mais. É difícil de vê-los em ação, mas ter certeza de que eles estão ali não é difícil. Basta verificar as embalagens roídas e um um cheiro de urina também! Sinal de que temos mais que simplesmente insetos. Há roedores nesta casa!

Todos os moradores, especialmente as crianças, correm riscos. Uma pesquisa feita pela Universidade Federal de Pernambuco, em 172 domicílios do Recife, mostrou que 79 crianças estavam expostas a baratas. Nesse grupo, 32% tinham asma. Enquanto isso, em um outro de 93 crianças que moravam em casas que não possuíam baratas, apenas 12% tinham o mal.

“No caso das baratas, são os fragmentos da sua superfície dispersos no ar que causam a alergia. Assim como há pessoas sensíveis a ácaros, há alérgicos a barata“, disse Roberto Stirbulov, presidente da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT).

Hoje em dia, os produtos que são utilizados para controle de pragas urbanas são muito mais seguros que há alguns anos, por isso não é necessário ficar fora de casa por longos períodos. Dependendo do tipo de infestação e dos produtos utilizados, sequer é necessário se ausentar do ambiente controlado.

Em linhas gerais é sugerido que as crianças permaneçam fora do ambiente controlado atráves da utilização de produtos líquidos por, no mínimo, 24 horas. Os mesmos cuidados são válidos para idosos e pessoas com histórico alérgico. Antes do regresso é essencial que o ambiente esteja arejado. Por isso, é sempre sugerido tirar todas as dúvidas com o técnico responsável pelo procedimento.

No caso de gestantes, assim como as crianças, é necessário evitar que estejam em ambientes que contenham produtos químicos no ar (no caso de dedetização realizada por pulverização, por exemplo). Estas pessoas devem ficar fora do ambiente (seja em casa ou no trabalho) por pelo menos 24 horas após alguns tipos de procedimento. Em casos de dedetização realizadas através da aplicação de gel, não existem riscos de intoxicação.

Quer saber mais?

Veja mais dicas e precauções para as grávidas durante a dedetização.

Deixe seu comentário

1 + 2 =