Como as baratas sabem para onde devem fugir?

Como as baratas sabem para onde devem fugir?

Com informações de About.com

Já ouviu dizer que quando uma pessoa está chegando perto de uma barata, ela sente a aproximação por causa do ar que o movimento do ser humano produz? Com isso, ela corre a favor do vento, ou seja, para longe da pessoa que, sorrateiramente, está preparando o ataque.

A premissa intrigou o Dr. Hananel Davidowitz, do Instituto de Pesquisas de Princeton (New Jersey), que estudou o efeito que os fluxos de ar exercem sobre as baratas.

As baratas possuem micro pelos localizados na parte traseira de seu corpo que detectam movimentos do ar. Estes pelos são conectados à células nervosas que transformam as sensações em informações.

“Elas vão sempre correr a favor do fluxo de ar”, conclui o estudo. E com isso, outra pergunta vem a tona: e se tentar atacar a barata de cima, com uma pisada? Quem já tentou fazer isso, pode ter tido sucesso após algumas tentativas, mas as baratas também sentem o vento vindo de cima para baixo e, milagrosamente, conseguem escapar de serem amassadas, correndo para um ambiente seguro, ou para se posicionando na região do solado do sapato  que vai atingir o chão com mais atraso (isso porque nós não pisamos no chão com os pés em uma linha reta, primeiro firmamos o calcanhar e depois apoiarmos a parte da frente, onde ficam os dedos. Nem mesmo nossos sapatos têm os solados retos, desta forma a variação de vento vai ser diferente nas diferentes áreas do calçado – a não ser os chinelos que são mais planos (e pode ser este o motivo que faz dos chinelos o principal inimigo doméstico das baratas).

E será que se tentarmos enganar uma barata usando um aspirador de pó, ela vai correr em direção ao vento e correrá para dentro do aspirador. O questionamento parece bobo, mas tem um sentido em tudo isso. Seria possível enganar as baratas trocando a direção do ar? De acordo com a pesquisa, se o bocal do aspirador estiver voltado para a extremidade traseira da barata, vai parecer que o ar está vindo da direção da cabeça dela. Como já explicamos, a barata vai correr sempre a favor do ar, para “se afastar de possíveis ameaças”. Sendo assim, ela se vira e vai em direção ao aspirador. Se o ar vem da parte traseira, ela correrá para frente, e também tende a entrar no tubo do aparelho.

Interessante, não é? Então aqui vai outro fato interessante sobre as baratas: elas vão sempre correr e se esconder em um ambiente com pouca iluminação. Ou seja, se tem uma barata no meio do quarto, a noite, e você acende a luz, é bem provável que ela corra para baixo da cama. Durante o dia, elas permanecem escondidas em suas “tocas”, abrigadas em algum ambiente escuro.

De posse de todas estas informações, os cientistas da Escola Experimental de Agricultura do Alabama queriam saber se as baratas seriam realmente repelidas por correntes de ar mesmo que em ambientes escuros.

Para o experimento, estes pesquisadores deram às baratas duas escolhas: se esconderem em uma tubulação com bastante luz e sem nenhuma corrente de ar, ou em um cano escuro e com ventilação semelhante ao que seria produzido em uma casa (ou seja, nada forte o suficiente para carregar o inseto). Adivinhe qual foi o resultado? As baratas preferiram estar longe das correntes de ar, mesmo que em ambiente iluminado.

E agora que chegamos ao final, você deve estar se perguntando: como todas estas informações podem contribuir para acabar com as baratas em casa? Os cientistas do Alabama acreditam que estas descobertas curiosas podem contribuir no posicionamento de iscas utilizadas para controle de baratas e para utilizar o fluxo de ar que já existe em sua casa (que entra por baixo das portas, janelas e frestas, por exemplo), para guiar as baratas para as armadilhas.

Deixe seu comentário

- 1 = 1