Infestação Passional

Infestação Passional

Um verdadeiro tormento. Era assim que Patrícia resumia a história daquele verão. Isso porque, sua casa, antes tão limpa e tranquila, se encontrava repleta de pulgas e carrapatos. Coisa que era no mínimo curioso já que não tinha animais de nenhuma espécie em casa. A única coisa que se aproximava de um bichinho na casa de Patrícia era Mag, uma cadelinha de pelúcia que ostentava um laço rosa no topo da cabecinha de borracha.

Tentou usar repelentes, géis, veneno, talcos, soluções caseiras e nada. Tinha mesmo que ligar para o Exterminador, certamente o único capaz de ajudá-la. E quando ele chegou, foi como se o verão tivesse recomeçado. Patrícia contou, quase com lágrimas nos olhos, do seu problema com tantas pulgas e carrapatos brincando pela sua casa.

Depois de andar um pouco pela casa e fazendo deduções aqui e ali, algo chamou a atenção do Exterminador: a cadelinha Mag, sentada no batente da janela “observando” o jardim do vizinho. Não que pensasse que um bicho de pelúcia pudesse atrair pulgas e carrapatos, mas se adiantou a mirar o outro lado da janela até desvendar o mistério. Quem trazia as pragas para a casa de Patrícia era Spike, o cachorro do vizinho, que havia se enganado terrivelmente em sua vida de cão: se apaixonara perdidamente por Mag.

 

Deixe seu comentário

9 + 1 =