Criatividade sem limites: as mandalas de insetos

Criatividade sem limites: as mandalas de insetos

Ele é polêmico e graças a isso carrega o título de artista com obras mais bem pagas em vida. Mas por trás de todo o rebuliço gerado por seu trabalho, Damien Hirst demonstra uma criatividade ímpar. E ele não a economizou para criar essa mandala de insetos.

mandala_insetos Criatividade sem limites: as mandalas de insetos Papo de Praga

Apesar de não ser novidade o uso de insetos em obras de arte, a mandala do artista inglês tem suas particularidades. Batizada de “Capaneus”, a obra é parte da série “Entomology” (tradução livre: entomologia, área da Zoologia responsável pelo estudo dos insetos), a qual Hirst se dedica desde 2009. Na mandala centenas de insetos foram posicionados em formas geométricas e fixados com pintura doméstica brilhante das mais variadas cores, formando o quadro de 1,52 x 1,21 metros.

Em seu site Damien Hirst fala do seu fascínio com a história natural, o que pode ser percebido em vários de seus trabalhos. Há uma instalação em que o artista inglês usa larvas e moscas sobre a cabeça de uma vaca cortada em uma caixa de vidro. Outra obra polêmica de Hirst tem uma vaca e um touro mortos flutuando em formol. Acredite ou não alguém pagou caro por esses e outros trabalhos de Damien Hirst, o que contribui para sua fortuna de R$364 milhões – toda conquistada com a venda de suas obras de arte.

Outras informações sobre a mandala de insetos e imagens detalhadas da obra podem ser vistas no site do artista.

Com informações do Metamorfose Digital

 

Deixe seu comentário

29 - = 28