As baratas e as explosões nucleares

As baratas e as explosões nucleares

As baratas estão em nosso planeta há cerca de 300 milhões de anos. Sim, elas habitam a superfície bem antes do homem surgir. E se isso já faz dela um inseto quase mítico, imagine a quantidade de teorias que surgiram sobre ela. Isso porque, além de muito antiga, a barata é um animalzinho que mete medo até nos marmarjões e goza de uma resistência de dar inveja a muita espécie por aqui, inclusive a nossa. Quem nunca ouviu a história  de que elas sobreviveriam a um ataque nuclear?

 

As baratas carregam em suas carcaças a fama de aguentar explosões de substâncias radioativas que podem destruir cidades inteiras. Essa crença surgiu a partir da constatação de que elas são, sim, seres extremamente resistentes. Elas podem sobreviver sem a cabeça, sem comida por um mês, se reproduzem sempre em grandes quantidades e possuem mesmo grande resistência à radiação.
Entretanto, não se engane tão fácil assim por coisas que lemos diariamente na internet. Apesar de serem tão duronas até mesmo diante de material radioativo, as baratas, quando próximas a uma explosão, morreriam, assim como qualquer outra espécie. Sua resistência merece a atenção que recebe, mas nada de superestimar esse bichinho que pode infestar nossa casa e trazer muito prejuízo. Mito.  

Deixe seu comentário

48 - = 38