A publicidade e as larvas

A publicidade e as larvas

O palco foi a Galeria do Rock, na região central de São Paulo. O cenário era um cartaz publicitário. E as protagonistas eram dezenas de larvas. Parece nojento e estranho, mas tudo fez parte de uma ação publicitária para alertar as pessoas sobre os riscos do uso do crack. Deu certo.

Criada pela agência Talent, a iniciativa da Associação Parceria Contra Drogas colocou dois cartazes nos corredores da Galeria do Rock, ponto de encontro dos jovens paulistanos, localizada em uma área com forte presença do tráfico de drogas. Impressos em uma espécie de massa de trigo, os cartazes eram devorados ao vivo por várias larvas do tipo tenébrio, o chamado “bicho-da-farinha”. O objetivo: mostrar para as pessoas de uma forma simulada, porém visível, como o crack destrói o usuário aos poucos. A ideia foi inusitada e forte, mas no fim conquistou a meta e atraiu a atenção das pessoas.

larvas_cartaz A publicidade e as larvas Papo de Praga

Com informações do site Hypeness

Deixe seu comentário

19 - = 16