Cientista conta como fez foto de ‘mariposa-poodle’ na Venezuela

Cientista conta como fez foto de ‘mariposa-poodle’ na Venezuela

mariposa-poodle Cientista conta como fez foto de 'mariposa-poodle' na Venezuela Notícias

A intrigante “mariposa-poodle” foi fotografada de madrugada, em um dia chuvoso de janeiro de 2009, numa pequena floresta a cerca de 650 km de Caracas, capital da Venezuela, disse em entrevista exclusiva ao G1 o autor da imagem, o cientista Arthur Anker.  A mata onde foi encontrado o inseto fica na região ao sul de Ciudad Bolívar e ao norte de Gran Sabana, no estado de Bolívar, de acordo com Anker. A “mariposa-poodle” estava sozinha – não havia outros espécimes junto a ela na hora da imagem.

A área onde foi feita a foto é “relativamente isolada”, ressalta Anker. O animal foi fotografado por volta das 23h do dia 1º de janeiro. O pesquisador é zoólogo, nascido no Quirguistão, na Ásia, e atuou na Universidade Federal do Ceará (UFC) e na Universidade Federal da Bahia (UFBA). “O animal é do gênero Artace, não sei se é uma nova espécie. Eu não coletei [o inseto], apenas tirei a foto. Sei que mariposas deste tipo foram pouco identificadas na América Central e do Sul”, disse o pesquisador.

Sem manipulação digital

A mariposa mede cerca de dois centímetros e parece com um “poodle com um mau corte de cabelo”, na definição do cientista. Questionado pelo G1 se a fotografia havia sido modificada digitalmente, Anker foi enfático: “a imagem não foi manipulada, só cortada de uma maior”.

“Eu fotografei um monte de mariposas de outros tipos naquela noite”, disse o cientista ao ser indagado se havia outras fotos do animal. Ele ressalta não ser um expert neste tipo de bicho e pesquisar crustáceos marinhos.

Há algumas semanas, Anker voltou para a Ásia e está trabalhando na Universidade Nacional de Cingapura. Sua “mariposa-poodle” virou o assunto da semana para cientistas espalhados pelo globo, após a imagem ter vindo à tona em blogs e publicações científicas na internet.

Pompom

Para o professor de zoologia da Universidade Federal do Paraná (UFPR) Olaf Hermann Mielke, especialista em mariposas, o animal é curioso e intriga “principalmente pelas patas peludas”. “Aquilo é fora do comum, é muito estranho. As patas parecem pompom”, disse.

O cientista da UFPR acertou na comparação que fez com outra mariposa, a Artace cribraria, encontrada em regiões dos Estados Unidos. “As larvas [da espécie] são urticantes, provocam queimaduras”, ponderou. Havia uma pista na imagem publicada por Anker da “mariposa-poodle”, sugerindo que ela poderia ser aparentada a este gênero.

Pra Mielke, é preciso estudar mais a espécie para saber se ela é nova ou não. “Tem pouca gente estudando isso no mundo. De cientista de borboletas e mariposas, no Brasil, há 4 ou 5 para estudar milhares de espécies”, disse ele.

Fonte: G1

Deixe seu comentário

16 + = 17