Seu estabelecimento está preparado para receber consumidores?

Seu estabelecimento está preparado para receber consumidores?

É crescente o número de pessoas que se alimentam fora de casa. Com a vida cheia de afazeres e a distância entre a residência e o trabalho, este número pode continuar aumentando cada vez mais, seguindo a tendência mundial. Por consequência dessa mudança de comportamento, cresce também o número de internações por intoxicação alimentar. Em São Paulo, o Hospital do Coração (HCor) registrou, entre os anos de 2009 e 2013, aumento de 122% no número de pacientes atendidos por esta causa.

Para se preparar e atender ainda melhor os consumidores que, a cada dia, aumentam, empresários do ramo alimentício precisam eliminar qualquer chance de contaminação dos alimentos em decorrência da presença de pragas.

De acordo com o documento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que rege o controle de pragas em estabelecimentos alimentícios, Resolução de Diretoria Colegiada nº 216 (RDC 216), uma empresa, indústria de qualquer ramo de atividade que contenha um restaurante, lanchonete ou similar em seu estabelecimento, deve tomar providências quanto ao controle de pragas urbanas nesses locais.

A determinação da Anvisa deixa claro que “as instalações e os equipamentos devem ser livres de vetores e pragas urbanas” e que os proprietários de cozinhas institucionais, restaurantes, lanchonetes, cantinas, cafés, entre outros precisam ter um plano de ação contínuo que previna a atração, acesso ou proliferação deles. “Quando as medidas de prevenção não forem eficazes, o controle químico deve ser executado por empresa especializada”, enumera a determinação do órgão.

Mesmo aparentando limpo e com ótima infra-estrutura, as pragas podem adentrar o ambiente em embalagens plásticas, caixas de papelão, pallets, etc. Por isso é necessário manter sempre em dia o Manejo Integrado de Pragas (MIP) na empresa. Assim que identificadas as pragas ocorrentes, a empresa especializada realiza uma análise dos pontos suscetíveis de abrigo e imediatamente atua de modo a eliminar esta praga na área interna e dificultar o acesso de novas pragas ao estabelecimento, se atendo aos hábitos de cada espécie.

Deixe seu comentário

1 + 2 =