Precisamos falar (sério) sobre ZIKA

Precisamos falar (sério) sobre ZIKA

Assunto do momento e não à toa: o vírus Zika ainda é um desconhecido, mas já causa preocupação, medo e desconfiança para quem acompanha o noticiário ou para quem só ouviu falar. Crescem o alerta do perigo e as evidências de sua relação com os casos de microcefalia que explodiram em incidência no final de 2015. Por outro lado, com tantas especulações e informações desencontradas, crescem também os boatos, o compartilhamento irresponsável de fatos não comprovados, e até a crença em teorias da conspiração absurdas.

 

Para esclarecer o tema e dar um freio na disseminação da desinformação que atrapalha a busca por um ambiente livre do transmissor do vírus, o Aedes aegypti, o Ministério da Saúde publicou uma cartilha recheada com explicações sobre cuidados e prevenção. Confira as recomendações para o público geral:

 

PÚBLICO EM GERAL

 

Prevenção/Proteção

 

› Se o mosquito pode matar, ele não pode nascer.

› Mantenha-se vigilante quanto à limpeza da sua casa, cuidando para que pratinhos com vasos de plantas, lixeira, baldes, ralos, calhas, garrafas, pneus e, até brinquedos, não sirvam de criadouro para as larvas do mosquito.

› Mantenha-se vigilante quanto à limpeza do seu bairro. Denuncie o acúmulo de lixo e entulho, ou qualquer recipiente que possa abrigar a larva do mosquito.

› Utilize telas em janelas e portas, use roupas compridas – calças e blusas – e, se vestir roupas que deixem áreas do corpo expostas, aplique repelente nessas áreas.

› Fique, preferencialmente, em locais com telas de proteção, mosquiteiros ou outras barreiras disponíveis.

 

Cuidados

› Caso observe o aparecimento de manchas vermelhas na pele, olhos avermelhados ou febre, busque um serviço de saúde para atendimento.

› Não tome qualquer medicamento por conta própria.

› Procure orientação sobre planejamento reprodutivo e os métodos contraceptivos nas Unidades Básicas de Saúde.

 

Informação

› Utilize informações dos sites institucionais, como o do Ministério da Saúde e das Secretarias de Saúde.

› Se deseja engravidar: busque orientação com um profissional de saúde e tire todas as dúvidas para avaliar sua decisão.

› Se não deseja engravidar: busque métodos contraceptivos em uma Unidade Básica de Saúde.

 

A cartilha também traz informações específicas para gestantes, cuidados com recém-nascidos e cuidados com recém-nascidos com microcefalia. Para acessá-la, clique no link:  http://portalsaude.saude.gov.br/images/pdf/2016/janeiro/12/cartilha-informacoes-ao-publico-v2.pdf

Deixe seu comentário

+ 27 = 35