Manejo cultural de frutíferas e hortaliças domésticas

Manejo cultural de frutíferas e hortaliças domésticas

Nos dias atuais, é cada vez mais evidente a preocupação das pessoas com a saúde e o

meio ambiente. Isso implica diretamente na escolha dos alimentos a serem consumidos já que,

a aceitação na utilização contínua de defensivos agrícolas a partir da revolução verde é cada

vez menor.

Como alternativa para o consumo de frutas, legumes e hortaliças livres de

agroquímicos, existem hoje no mercado diversos produtos de origem vegetal que são

produzidos em agrossistemas orgânicos onde, adubos químicos, pesticidas e práticas

mecanizadas são substituídos por técnicas ecológicas com baixo impacto ao meio ambiente e

maior segurança alimentar para os consumidores.

Outra alternativa interessante que vem sendo utilizada cada vez mais nas cidades é o

plantio em vasos e quintais de pequenas frutíferas e hortaliças como uma forma simples e

barata de se ter acesso a frutas e vegetais livres de defensivos agrícolas e produzidos com

baixo ou nenhum impacto ambiental.

De toda forma, plantas cultivadas em ambientes domésticos também estão sujeitas ao

ataque de pragas e injúrias e podem ser necessários alguns tratos culturais. Hoje existem

práticas que podem facilmente serem utilizadas em ambiente doméstico para proteger e

garantir a integridade dos alimentos produzidos em casa.

Para garantir o vigor nutricional de frutíferas e hortaliças podemos utilizar práticas de

adubação verde através do plantio de plantas forrageiras da família das leguminosas, as mais

utilizadas são as crotalárias, mucunas e guandus. Estas plantas atuam favorecendo o solo

quimicamente através da liberação de grande quantidades de nitrogênio e, fisicamente,

atuando como cobertura vegetal para o solo.

Para proteção de frutos de porte médio, como goiabas, pêssegos e outros cítricos,

pode-se realizar a proteção destes com saquinhos de papel, como os de pipoca, após o raleio

dos frutos com a remoção daqueles danificados, doentes ou com sinais de picadas. Os frutos

ensacados permanecerão, até o amadurecimento, protegidos dos ataques de insetos.

Como alternativa aos tratamentos convenvionais com o uso de agroquímicos podemos

utilizar de práticas que favorecem o desenvolvimento vegetal e desfavorece o estabelecimento

de pragas. A realização adequada de podas, com remoção de ramos doentes ou infestados

que, além de eliminar pragas e patógenos de maneira pontual favorece a circulação do ar e a

incidência solar na copa. Plantio de culturas alternadas em hortas juntamente com o plantio

de espécies repelentes como cravos, arrudas e alfavaca atuam reduzindo a população de

insetos indesejados na área de cultivo.

Importante ressaltar também que toda poda, adubação e irrigação deve ser feita de

maneira equilibrada, já que o excesso de água e de nutrientes ou uma poda realizada de

maneira inadequada pode prejudicar o desenvolvimento normal da planta e favorecer a

instalação de pragas e doenças.

 

CRÉDITOS – Texto Produzido pelo Engenheiro Agrônomo da Insetan Dhiego F. Rocha

Deixe seu comentário

73 - = 72