Saiba mais sobre as determinações da Anvisa para desinsetização em estabelecimentos comerciais que manuseiam alimentos

Saiba mais sobre as determinações da Anvisa para desinsetização em estabelecimentos comerciais que manuseiam alimentos

Prevenir as pragas em restaurantes, bares e cozinhas industriais é um grande desafio para empresários. Os estoques também são ambientes bastante propícios ao aparecimento de insetos e roedores, uma vez que existe bastante oferta de alimento.

Além dos riscos que estes insetos, roedores e aracnídeos oferecem à saúde, eles podem causar grandes prejuízos financeiros. Por isso, no Brasil, a lei determina que estabelecimentos que ofereçam serviços ou produtos alimentícios realizem o controle de pragas urbanas com frequência.

Segundo a cartilha “Boas Práticas para Serviços de Alimentação”, publicada pela Agência Nacional de vigilância Sanitária (Anvisa) para evitar que insetos e outros animais entrem em ambientes em que sejam manuseados alimentos, as janelas devem possuir telas e todo o material que não esteja sendo utilizado deve ser acondicionado em locais apropriados, evitando o acúmulo de objetos.

A agência recomenda ainda que sempre haja rede de esgoto ou fossa séptica. As caixas de gordura e de esgoto devem estar localizadas fora da área de preparo e armazenamento de alimentos. “Os insetos e outros animais apresentam micróbios espalhados em todo o corpo. A área de alimentos é atrativa para esses animais que, ao entrar em contato como os alimentos desprotegidos, podem transmitir os micróbios”, explica o documento da Anvisa.

A bióloga e responsável técnica da Insetan, Viviane Avelar, recomenda que empresas do ramo alimentício mantenham uma espécie de “rotina sanitária”.  De forma geral, ela explica, “para garantir que o ambiente esteja constantemente com níveis de infestação o mais próximo possível a zero, a recomendação é que estabelecimentos do setor alimentício realizem a desinsetização e a desratização com frequência mensal”, sugere a bióloga.

Dentre os cuidados que se deve seguir durante o procedimento de dedetização, o guia destaca que:

  1. Durante os procedimentos, os produtos desinfetantes não devem atingir alimentos, equipamentos e utensílios. Estes devem ser armazenados em recipientes com tampa ou sacos plásticos.
  2. Após a aplicação dos produtos, alimentos, equipamentos e utensílios devem ser higienizados para evitar que algum cliente ingira o desinfetante.
  3. A escolha das empresas prestadoras de serviços devem ter registro e utilizar produtos regularizados pelo Ministério da Saúde.

(RESOLUÇÃO RDC Nº 216 / 2004)

(RESOLUÇÃO RDC Nº 275 / 2002)

 

Foto: Pexels

Deixe seu comentário

+ 17 = 27