Dedetizador diz que sabor e não dureza da madeira que “espanta” cupim

Dedetizador diz que sabor e não dureza da madeira que “espanta” cupim

No debate da Super Manhã desta sexta-feira (2), especialistas discutiram os riscos e como se prevenir do ataque de bichos, pragas e insetos. Os convidados para debater o assunto foram o veterinário Doralécio Lins e Silva, dedetizador e médico veterinário, Disraeli Patrício, e o médico Américo Ernesto.

O dedetizador explica a forma de proliferação do cupim. “Cupim costuma ter revoada na época de reprodução. Ele voa, perde as asas e cai no solo e faz acasalamento procurando fazer novas colônias. Depois daí ele procura infestar os imóveis”, disse.

Segundo Disraeli, tudo a base de celulose o cupim come. Ou seja, não só madeiras. “Papel, papelão, couro, isopor, tecido. Ele come tudo”, exemplificou. O combate ao cupom é difícil. “É difícil porque a fêmea quando cruza estende o abdômen e só faz botar ovos. Ela fica inerte, parada. Tem literatura que diz que ela bota 10 mil ovos por dia e outras literaturas que ela coloca 50 mil ovos por dia”, destacou, orientando que o controle é feito a partir do momento que se coloca veneno na madeira.

Ele diz que a “madeira que cupim não rói” não é por conta da dureza dela, mas sim por conta do gosto.

Fonte: Rádio Jornal

Deixe seu comentário

40 - 30 =