As crianças e a dedetização

As crianças e a dedetização

Quando algum ambiente se encontra infestado de insetos, roedores e outras pragas necessitando passar por algum processo de dedetização, isso implica no uso produtos químicos que podem se espalhar pelo ar (como a pulverização). Nesse caso, há sempre o receio das consequências do contado com essas substâncias com as pessoas e animais que frequentam a casa. E a preocupação aumenta ainda mais quando crianças podem entrar em contato direto com essas substâncias.


É fato que, nos últimos anos, a indústria química, especificamente ligada à fabricação de produtos para eliminação de pragas urbanas, tem evoluído para formulações que amenizam os efeitos negativos dos compostos utilizados em casas, empresas e demais locais. Mas a afirmação de que alguns produtos podem apresentar toxinas nocivas ao nosso organismo é verdadeira.

Quando, no ambiente, são utilizados compostos líquidos que são pulverizados no ar, as crianças, principalmente as menores e os bebês, mais frágeis, devem permanecer fora por, no mínimo, 24 horas. Essa medida evita que alguma reação adversa aos produtos prejudique as crianças, que podem sofrer algum tipo de intoxicação. Também deve-se garantir que, quando do retorno, o ambiente esteja arejado e sem nenhum cheiro que cause grande incômodo.

Ademais, é de extrema importância que o técnico seja consultado para sanar todas as dúvidas acerca do método utilizado e seus processos. Quando se trata de tomar os devidos cuidados para que não haja nenhum problema ou risco à saúde das crianças, toda informação segura e responsável é bem-vinda.

Tem alguma dúvida? Consulte a Insetan. Somos especialistas no assunto e prezamos pela saúde de nossos clientes.

Foto: Pexels.

Deixe seu comentário

+ 12 = 20