O cérebro de um pombo funciona de forma parecida com o seu

O cérebro de um pombo funciona de forma parecida com o seu

Um novo estudo, feito pela Universidade de Iowa, mostra que pombos conseguem categorizar e ‘nomear’ objetos (tanto naturais quanto fabricados por humanos). Os pássaros foram capazes de separar 128 objetos em 16 categorias – de forma simultânea.

As descobertas sugerem que o cérebro dos pombos conseguem aprender o equivalente a palavras da mesma forma que o cérebro de crianças. Ou seja: a conclusão é que os bichos são mais espertos do que achávamos.

Na análise, pesquisadores usaram uma versão computadorizada de um jogo chamado ‘name game’. Basicamente, mostravam aos pombos 128 fotos de objetos que se encaixavam em categorias básicas como: bebê, garrafa, bolo, carro, biscoito, cachorro, pato, peixe, flor, chapeu, chave, caneta, telefone, avião, sapato e ávore. Não só os pombos aprenderam a mecânica da tarefa como também acertavam as categorias.

Além disso, quando novas imagens (fora as da coleção iniciais) que se encaixavam nas categorias eram mostradas, eles também não tinham dificuldade em classificá-las. E essa capacidade é comparável com a de crianças – o que sugere que não somos os únicos com a habilidade de entender um gênero todo e associá-lo com uma imagem ou palavra. Por exemplo, ver um ícone de uma árvore e saber que ela pode representar outras árvores, por mais que tenham um formato diferente. É a mesma lógica por trás da palavra ‘árvore’, que usamos para descrever inúmeros tipos de plantas nem sempre parecidas – mas que compreendemos que se encaixam nessa categoria.

Sabe-se que os pombos são mais inteligentes do que boa parte dos pássaros. Um de seus talentos é a capacidade de encontrar suas casas, mesmo que estejam distantes ou até vendados – lembra dos pombos-correio? Eles também possuem melhor visão do que humanos e são treinados pela Guarda Costeira dos EUA para encontrar coletes salva-vida no mar.

Fonte: Revista Galileu

Deixe seu comentário

+ 24 = 34