As aranhas conseguem tecer fios comparados ao aço, tão resistentes quanto o Kevlar e 30 vezes mais finos do que o cabelo humano. Durante muitos anos cientistas tentaram, sem sucesso, reproduzir esse milagre da natureza. Até que pesquisadores da Swedish University of Agricultural Sciences e do Karolinska Institute, na Suécia, descobriram o segredo, divulgado no periódico Nature Chemical Biology, na última segunda-feira (9).

“Esta é a primeira mostra biométrica bem-sucedida de um fio de seda de aranha. No futuro, isso nos permitirá produzir seda artificial em escala industrial, para uso em biomaterial ou para a confecção de tecidos avançados”, comemorou uma das veteranas do grupo, Anna Rising.

12111406028052 Cientistas recriam teia de aranha em laboratório Curiosidades Notícias Pragas Uma amostra da teia artificial criada pelos institutos suecos

Mas como eles conseguiram?

Segundo a universidade sueca, os estudos preliminares envolviam criação dos artrópodes, mas eles são difíceis de se manter juntos em cativeiro e geram pouca quantidade de fibras naturais. Já o processo de fiação de seda artificial que imita o mesmo processo dos bichinhos não era bem-sucedido devido à dificuldade de imitar as proteínas solúveis em água que mudam rapidamente sua acidez.

A descoberta pode ser usada nos campos da medicina e da indústria têxtil avançada

Eis que a resposta para o segredo foi utilizar cadeias em culturas de bactérias E. coli com um aparelho capaz de emular as mudanças do balanceado pH das aranhas, pois é isso que forma rapidamente o fio de seda em determinado local.

Essa descoberta pode ser usada para a produção em larga escala, nos campos da medicina, na reparação da da medula espinhal, por exemplo, e, claro, na fabricação de roupas e equipamentos mais leves para proteger nosso corpo.